INTERNET

Apps coreanos que monitoram vida online dos filhos põem usuários em risco

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/09/2017 ... Convergência Digital

Em meados de 2015, o governo da Coreia do Sul determinou às operadoras móveis do país que instalassem aplicativos nos celulares de crianças e adolescentes de forma a permitir o bloqueio de conteúdo considerado impróprio assim como o monitoramento de atividades online pelos pais. Dois anos depois, auditorias mostram que pelo menos três dos apps que se tornaram populares contém graves riscos de vazamento ou uso malicioso dos dados dos usuários.

“Auditorias de segurança realizadas pelo Citizen Lab, Cure 53 e OpenNet Korea descobriram que um aplicativo popular de monitoramento, ‘Xerife Espero’, custeado pelo governo da Coreia, têm sérios problemas de segurança e privacidade”, alertam as entidades, que agora buscam apoio para que a determinação da Comissão de Comunicações da Coreia, o regulador de telecom do país, seja revogada. 

Os estudos ressaltam que a Coreia foi o primeiro país do mundo a exigir filtros de conteúdo a menores de idade instalados em seus telefones celulares. O ‘Xerife Esperto’ tem o objetivo de bloquear pornografia. Ele chegou a ser relançado com outro nome (Cyber Security Zone), mas segundo o Citizen Lab “têm muitos dos mesmos problemas de segurança”. 

Além desses, outro app, Smart Dream, permite que os pais monitorem a troca de mensagens e o histórico de navegação dos filhos. “A análise revelou sérias vulnerabilidades que permitem acesso não autorizado às mensagens armazenadas e o histórico de buscas”, diz o alerta das entidades. 


Vispe Capital e BEX se unem por investimento estrangeiro para ISPs

Para Droander Martins, CEO da Vispe Capital, a consolidação é um caminho inevitável, uma vez que muitos provedores estão sem acesso a recursos financeiros para expandir suas redes e negócios.

Dados de 2,4 milhões de brasileiros no SUS teriam vazados. Governo nega

Hacker teria encontrado brecha para divulgar informações do CadSUS, que é o Sistema de Cadastramento de usuários do Sistema Único de Saúde brasileiro (SUS). Ministério da Saúde descarta vazamento, mas encaminhou denúncia à Polícia Federal.

Sérgio Moro cria conta no twitter para “explicar propostas” da Justiça

“Quero explicar aqui o projeto de lei anticrime, além das medidas executivas em andamento do Ministério”, tuitou o ministro, ressaltando que “este twitter é meu mesmo”.

Provedores SCM encostam na Vivo na banda larga fixa

As PPPs fecharam fevereiro com 24,46% do mercado nacional, ou 7,65 milhões de contratos ativos. A Claro segue na liderança com 30,03% do mercado.

2018 foi o ano de consolidação de FTTH na América Latina

Mas para que o uso da fibra óptica continue crescendo serão necessárias ações regulatórias de fomento à banda larga, novas arquiteturas e o uso de novas tecnologias de FTTH, observou o presidente da Fiber Broadband Association, Eduardo Jedruch.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G