Convergência Digital - Home

Dell EMC quer seus servidores na base da computação em nuvem

Convergência Digital
Roberta Prescott - 13/07/2017

A infraestrutura moderna de tecnologia da informação está baseada no modelo de gerenciar recursos da computação em nuvem. No entanto, independentemente se a nuvem for pública, privada ou híbrida, ela requer uma base robusta e adequada para as necessidades específicas de cada tipo de aplicações. “Por trás da computação em nuvem tem de haver uma infraestrutura para tudo rodar e a Dell EMC quer ser o melhor parceiro”, afirmou Raymundo Peixoto, vice-presidente de vendas de soluções de servidores e networking da Dell EMC América Latina, durante coletiva de imprensa do lançamento dos servidores PowerEdge 14G, nesta quinta-feira 13/7.

Ao anunciar a 14ª geração de servidores Dell EMC PowerEdge, Peixoto ressaltou os novos produtos estão preparados para sustentar o futuro do data center, que será, cada vez mais, baseado em software. A nova linha oferece uma plataforma de computação escalável, automatizada e segura para aplicações tradicionais e nativas da nuvem, usando processadores escaláveis Intel Xeon.

Para o executivo, a adoção dos novos produtos pode se dar de forma mais rápida uma vez que está adequada para rodar aplicações que ganham importância nas empresas como de big data. Com relação ao perfil de clientes, Peixoto explicou que a Dell EMC tem grande penetração nas pequenas empresas e neste mercado o foco é expandir participação. “Queremos melhorar a eficiência dos clientes atuais em vez de conquistar novos.” Já no mercado de médias empresas, a estratégia é conquistar novos clientes. Para isto, a Dell EMC planeja trabalhar na capacitação de canais.

Nas grandes empresas, o foco está nos segmentos financeiros, telecomunicações data center e provedores de serviços de nuvem. “Os mercados de provedores de serviços de nuvem e das telcos estão aquecidos. Estão comprando mais para atender a seus clientes que para consumo próprio”, explicou o VP, detalhando que a multinacional possui equipes dedicadas para atender a estes setores.

Com relação ao modelo de vendas, Peixoto afirmou que os novos produtos seguem a linha de comercialização da empresa, não havendo mudança na estratégia de distribuidores ou venda por canais. Segundo ele, o modelo indireto responde por metade das vendas. A Dell EMC também não pretende aumentar o número de distribuidores atuais (cerca de cinco atualmente), mas quer aumentar a participação da multinacional no portfólio deles para ganhar relevância como parceiro. 

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

LEIA TAMBÉM:
TICs em Foco - Transformacao Digital ... 15/08/2016
Prever. Prevenir. Detectar e Responder
TICs em Foco - Transformacao Digital ... 08/08/2016
TI x Negócios: rivalidade pra quê?

Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.
3ª Semana da Inovação 2017
Governo digital será uma pressão do contribuinte

Cidadão vai querer ter as facilidades do dia a dia no relacionamento com o poder público, afirma o executivo da Huawei Brasil, Rildo Santos.


Destaques
Destaques

Dataprev e Serpro vão prestar serviço pela nuvem pública

Objetivo é atender de forma unificada demandas distintas dos órgãos públicos. Empresas vão integrar orquestradores e planejam contratar serviços da Amazon, Google e Azure.

Mercado de computação em nuvem foi de R$ 2,25 bilhões no Brasil

Estudo da ABES mostra que o segmento registrou uma expansão de 47,4% em 2016, tendo como base os dois principais serviços - Software como Serviço (SaaS) e PaaS (plataforma como Serviço). O segmento de análise de dados faturou US$ 809 milhões



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Empresas de TI ou organizações dependentes dela?

Por Paulo de Godoy*

Considerada parte do ‘guarda-chuva’ da Inteligência Artificial, a Machine Learning vem crescendo e ganhando força à medida que o volume de dados explode.

Criando uma arquitetura analítica para o futuro

Por Stephen Rigo*

O custo de não ter a arquitetura analítica adequada é alto, já que esse fator pode gerar problemas de incompatibilidade, governança, segurança, falta de acordos de nível de serviço, escalabilidade e problemas de extensibilidade.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site