Convergência Digital - Home

Open Stack conquista o coração e o bolso das corporações

Convergência Digital
Convergência Digital* - 12/06/2017

Realizada com representantes dos segmentos de finanças, indústria, serviços, recursos naturais, saúde, telecomunicações, comércio, governo e educação, a pesquisa “Perspectivas de Cloud e Open Source na América Latina”, contratada pela Red Hat à IDC América Latina, revela um dado curioso quanto à utilização de software: mais de 70% das empresas ouvidas usam algum software open source – principalmente para o desenvolvimento de banco de dados, aplicativos, plataformas web e sistemas operacionais – e 8% estão prestes a implantar a tecnologia em suas companhias.

Segundo o gerente do Programa de Serviços de Tecnologia da Informação do IDC, Waldemar Shuster, os três principais motivos para a adoção do modelo são redução de custos (52%), independência de provedor (46%) e capacidade de personalizar o código-fonte para desenvolver aplicativos (41%). “Ao optar pelo open source, a maioria das empresas busca diminuir os gastos com melhoria da infraestrutura, uma maneira de se adequar à transformação digital”, resume.

Sobre o armazenamento de informações na nuvem, a pesquisa identificou que mais da metade das empresas (52%) usam cloud pública ou privada, com investimento de 27% do orçamento total. As estratégias estão concentradas no "Tudo na cloud" (Cloud First) ou "Cloud em toda a empresa" (uso difundido). Os maiores benefícios são observados nas áreas de TI, vendas e marketing, e administração e finanças, principalmente em aplicações comerciais.

No caso do OpenStack, 51% das empresas confiam no sistema operacional na nuvem para ter vantagens competitivas quanto à infraestrutura, acelerar a capacidade de inovação e ter maior eficiência operacional. As ferramentas mais conhecidas são PHP- Opencloud (63%), Wrote your own (37%) e OpenStack Client (34%).

“Os resultados do estudo nos ajudarão a entender a maneira como as empresas estão empreendendo a transformação de seu modelo de consumo de CAPEX para OPEX. E também nos ajudarão a compreender o que motivou as organizações a atribuírem menos orçamento anual em serviços de TI, hardware e software tradicionais, porém incrementarem os recursos para contratar serviços em cloud em 2017. Tudo isso é uma oportunidade de estimular o open source e o OpenStack na América Latina”, anuncia a Red Hat.

 Com a maior representatividade da pesquisa (34%), seguido de México (14%), Colômbia (17%), Chile (13%), Peru (12%) e Argentina (11%), o Brasil foge dos dados globais por apresentar a maior porcentagem de adoção do open source: 73%. Mas a aceitação do modelo de software entre as empresas brasileiras é ainda maior, pois 7% estão testando a implantação, 7% estão testando e tendem a implantar e 5% pensam em realizar a implantação nos próximos 12 meses.

Os principais desafios para a adoção do modelo, segundo as companhias ouvidas, seriam a sustentabilidade do projeto em longo prazo (62%), a incerteza com relação ao suporte do provedor (51%) e a falta de recursos especializados (47%). Já a adoção do cloud computing segue três critérios: casos de sucesso regionais ou locais (71%); conhecimento, recursos e experiências (67%) e preço (49%). Os maiores benefícios da tecnologia nos próximos três anos são esperados nos setores de finanças e contabilidade (51%); atendimento a clientes e marketing (47%) e recursos humanos (42%). O estudo foi feito com 178 empresas da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru entre fevereiro e março de 2017.


Destaques
Destaques

Uma empresa utiliza, em média, 1295 serviços na nuvem

Relatório Netskope Cloud Report aponta que as três principais violações de política detectadas em serviços de nuvem corporativa incluem Prevenção a Perda de Dados (DLP), política de atividade na nuvem e, violações de atividade atípica.

Nuvem pública é usada no Brasil para back-up de dados e fluxos locais

A terceira edição da pesquisa Global Data Protection Index, encomendada pela Dell Technologies, mostra ainda que mais de 70% das empresas de médio e grande porte registraram incidentes com dados no Brasil, com um prejuízo médio de R$ 1,5 milhão.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site