Home - Convergência Digital

Novo ransomware, batizado de WannaLocker, ataca smartphones

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 09/06/2017

Um novo ransomware está surgindo e acendendo o sinal amarelo dos especialistas. Trata-se do "WannaLocker", que ataca apenas dispositivos móveis. Ele está por enquanto atacando usuários chineses do Android, conta Nikolaos Chrysaidos, Head de Mobile Threat Intelligence & Security, da Avast.

A tela da mensagem de resgate do WannaLocker, diz o especialista, pode ser familiar, já que parece idêntica (veja abaixo) à tela do ransomware WannaCry, aquele que se espalhou pela Internet em 12 e 13 de maio passado. Outro aspecto interessante, diz ele, é que o Wanna Locker criptografa arquivos do armazenamento externo do dispositivo infectado, algo que não se via desde o Simplocker, em 2014.

De acordo com a Avast, o ransomware móvel está se espalhando nos fóruns de jogos chineses: as vítimas estão sendo enganadas ao fazerem download de um suposto plugin para o popular jogo chinês King of Glory, quando na verdade estão beixando o malware, alerta o pesquisador da Avast.

O primeiro sinal da contaminação é que ele esconde o ícone do jogo e muda o papel de parede do smartphone para uma imagem de ‘anime’. Em seguida, começa a criptografar arquivos no armazenamento externo do dispositivo. Depois que essa ação termina, explica Chrysaidos, o ransomware então exige um resgate de 40 Renminbi chineses, equivalentes seis dólares americanos. Não é muito comparado ao que o Simplocker exigiu no passado (cerca de USD 200), pondera ele.

“O fato de que o resgate está sendo exigido em moeda corrente e não em criptomoeda como o Bitcoin indica que as pessoas por trás do ataque estão tentando ganhar dinheiro rápido. No entanto, isso é arriscado para os criminosos pois o dinheiro pode ser facilmente rastreado, ao contrário do envio por meio de criptografia. O resgate pode ser pago usando-se os métodos de pagamento chineses QQ, Alipay e WeChat”, acrescenta Chrysaidos.

Um exame no código do malware mostra que os arquivos são criptografados usando criptografia tipo AES: “São criptografados apenas arquivos cujos nomes não começam com um "." e são ignorados tambem arquivos cujos nomes de caminho (path) contenham "DCIM", "download", "miad", "Android" e "com". Também são ignorados arquivos menores do que 10 KB”, detalha Nikolaos Chrysaidos.

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

18/04/2018
NIC.br contrata plataforma para proteger centro de operações de ataques DDOs

17/04/2018
Golpe de recarga grátis afeta mais de 20 mil pessoas em menos de 24 horas

17/04/2018
Botnets continuam hospedadas e ativas em cinco países da América Latina

12/04/2018
Justiça cria primeira vara federal especializada em crimes cibernéticos

22/03/2018
Cyberstalking: Justiça pune criador de 60 perfis falsos na Internet em Minas Gerais

21/03/2018
PF desarticula quadrilha que roubou dinheiro na Internet e lavava em bitcoins

13/03/2018
MPF quer mecanismos mais rápidos para acesso a dados fora do Brasil

06/03/2018
Com gestão de cibersegurança, SuperVIA bloqueou mais de 18 mil ciberataques

02/03/2018
Brasil está na rota do maior ataque de negação de serviço da história

27/02/2018
No combate às fraudes, bancos abrem dados para a Polícia Federal

Destaques
Destaques

Brasileiros têm carro autônomo como objeto de desejo

Pesquisa mostra que o consumidor nacional trocaria na hora uma marca tradicional por um carro feito por empresas como Google e Apple.

Oi avança com Internet das Coisas para 'jogar um novo jogo'

Operadora elege a tecnologia como prioridade para atender ao mercado corporativoe aponta um diferencial em relação aos rivais: a capilaridade.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

A grande oportunidade da IA no negócio do carro conectado

Por: Eduardo Prado *

Os dados do seu carro vão valer ouro e não falta muito para isso, antecipa o consultor Eduardo Prado, em artigo exclusivo ao portal Convergência Digital.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site