GOVERNO » Compras Governamentais

Software Livre tem data marcada para morrer no governo: 11 de novembro

Luiz Queiroz ... 25/10/2016 ... Convergência Digital

Até o próximo dia 11 de novembro, todos os órgãos integrantes do SISP - Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação - deverão encaminhar manifestação de interesse em adquirir diversas soluções da Microsoft. Apesar de algumas grandes "exceções", é a primeira vez que o governo federal, após a era do PT no poder, compra sistemas proprietários da multinacional e de uma forma tão abrangente.

Ainda não se sabe os quantitativos nem quanto o governo estará disposto a gastar. Isso somente após a manifestação dos interessados se poderá conhecer em volumes e o valor total estimado para a contratação. Mas já se sabe de antemão o que o governo pretende comprar conjuntamente, em software e serviços Microsoft: Office, Windows Professional, Windows Server e Client Access Licence, por meio de licenças perpétuas e subscrições, para atendimento das demandas dos órgãos participantes.

A compra se dará por meio de Registro de Preços, que já tem um identificador para efeito de conhecimento dos interessados: IRP nº 16/2016 - UASG 201057 (esse é o código da Central de Compras no portal Comprasnet).

Não se sabe se a compra será ainda este ano ou não. Mas este portal aposta que será até o final de dezembro, o que representará um belo presente de Natal para as revendas Microsoft, que ao longo dos últimos 12 anos de governos do PT viraram uma espécie de simbolo da gastança e da dependência tecnológica multinacional, em detrimento de outras soluções proprietárias que não sofreram tamanho estigma.

Transparência

Mas a megacompra dessas soluções da multinacional agora significará o "tiro de misericórdia" numa política que sempre foi controversa dentro do governo, pois não foi adotada por organismos politicamente poderosos como, Receita Federal e Banco Central, além dos bancos oficiais. Desde o ano passado, por exemplo, a própria STI -Secretaria de Tecnologia da Informação (antiga SLTI) vinha dando sinais de fraqueza até mesmo no Ministério do Planejamento, quando não foi capaz de impedir que este comprasse soluções e serviços da Microsoft.

O interessante nessa intenção de compra é que ela ainda não era de conhecimento público e ocorre há apenas uma semana depois da Microsoft realizar um evento, de portas fechadas (sem o acesso da imprensa), com integrantes do governo. O evento serviu para a MS anunciar a escolha e a criação em Brasília do seu "Centro de Transparência", que tem por finalidade a segurança cibernética e a troca de informações com governos da América Latina sobre a origem de ataques virtuais.

Participaram do evento o ministro da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, os secretários, Maximiliano Martinhão (MCTIC) e Marcelo Pagotti (STI), além do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rolemberg e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.


Diretor da Dataprev que propôs demitir mil funcionários pede exoneração

Desafeto político do presidente da estatal, Leandro Magalhães, Júlio César de Araújo Nogueira foi imposto para a diretoria da empresa pelo ex-ministro do Planejamento, Dyogo Henrique de Oliveira, que, agora, segue para a presidência do BNDES.

Câmara aprova urgência para votar a reoneração da folha de pagamento

Empresas de TI e de Call center podem ter de voltar a contribuir com alíquota de 20% , após 90 dias da publicação da nova legislação.

Decreto cria estrutura multissetorial para cuidar da transformação digital

A tradicional SEPIN, secretaria de Políticas de Informática, deixa de existir e se transforma na SEPOD, secretaria de políticas digitais, com Thiago Camargo Lopes à frente. Como política de Estado,  cobrança de resultados acontecerá em diversas pastas.

Estratégia Digital reúne antigas demandas e programas repaginados

Escolas conectadas, incentivos a isenções de ICMS, uso do Fust, apoio a startups, estímulo a exportações e até um novo Proinfo fazem parte das ações estratégicas que estimulem a economia digital no Brasil.

Jarbas Valente assume Telebras. Maximiliano Martinhão volta ao MCTIC

Seis meses e meio depois de assumir a presidência da Telebras, Martinhão, que estava antes à frente da SEPIN, retorna ao Ministério. Ele vai cuidar da Secretaria de Inovação.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G