GOVERNO » Compras Governamentais

Software Livre tem data marcada para morrer no governo: 11 de novembro

Luiz Queiroz ... 25/10/2016 ... Convergência Digital

Até o próximo dia 11 de novembro, todos os órgãos integrantes do SISP - Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação - deverão encaminhar manifestação de interesse em adquirir diversas soluções da Microsoft. Apesar de algumas grandes "exceções", é a primeira vez que o governo federal, após a era do PT no poder, compra sistemas proprietários da multinacional e de uma forma tão abrangente.

Ainda não se sabe os quantitativos nem quanto o governo estará disposto a gastar. Isso somente após a manifestação dos interessados se poderá conhecer em volumes e o valor total estimado para a contratação. Mas já se sabe de antemão o que o governo pretende comprar conjuntamente, em software e serviços Microsoft: Office, Windows Professional, Windows Server e Client Access Licence, por meio de licenças perpétuas e subscrições, para atendimento das demandas dos órgãos participantes.

A compra se dará por meio de Registro de Preços, que já tem um identificador para efeito de conhecimento dos interessados: IRP nº 16/2016 - UASG 201057 (esse é o código da Central de Compras no portal Comprasnet).

Não se sabe se a compra será ainda este ano ou não. Mas este portal aposta que será até o final de dezembro, o que representará um belo presente de Natal para as revendas Microsoft, que ao longo dos últimos 12 anos de governos do PT viraram uma espécie de simbolo da gastança e da dependência tecnológica multinacional, em detrimento de outras soluções proprietárias que não sofreram tamanho estigma.

Transparência

Mas a megacompra dessas soluções da multinacional agora significará o "tiro de misericórdia" numa política que sempre foi controversa dentro do governo, pois não foi adotada por organismos politicamente poderosos como, Receita Federal e Banco Central, além dos bancos oficiais. Desde o ano passado, por exemplo, a própria STI -Secretaria de Tecnologia da Informação (antiga SLTI) vinha dando sinais de fraqueza até mesmo no Ministério do Planejamento, quando não foi capaz de impedir que este comprasse soluções e serviços da Microsoft.

O interessante nessa intenção de compra é que ela ainda não era de conhecimento público e ocorre há apenas uma semana depois da Microsoft realizar um evento, de portas fechadas (sem o acesso da imprensa), com integrantes do governo. O evento serviu para a MS anunciar a escolha e a criação em Brasília do seu "Centro de Transparência", que tem por finalidade a segurança cibernética e a troca de informações com governos da América Latina sobre a origem de ataques virtuais.

Participaram do evento o ministro da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, os secretários, Maximiliano Martinhão (MCTIC) e Marcelo Pagotti (STI), além do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rolemberg e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.


Órgãos públicos do Executivo estão proibidos de exigir CPF e CNPJ

Medida impõe o compartilhamento de dados sem nenhuma regra de cuidado com as informações. Portaria proíbe a exigência ainda de certidões de débitos tributários e dívida ativa e certidão de quitação eleitoral.

Serpro repudia acusação de venda de dados pessoais

Estatal diz nunca ter repassado conteúdo ao site 'Consulta Pública', 'congelado' por uma ação do MPF do Distrito Federal. Sustenta ainda que não vende 'secretamente' dados de pessoas naturais ou jurídicas.

Apps de e-gov não pedem consentimento e coletam mais dados do que precisam

Segundo estudo do InternetLab com aplicativos federais e de São Paulo, nenhum dos aplicativos pede consentimento expresso e metade não possui qualquer política de privacidade.

Anac autoriza Secretaria de Patrimônio da União usar drones para fiscalização

Licitação para a compra de equipamentos pelo governo deverá acontecer a partir do final de maio. Drones vão ser usados para fiscalizar uso irregular de áreas de praia, margens de rios, terrenos de marinha e espelhos d'água, dentre outros bens públicos de propriedade da União.

CDES quer prioridade para proteção de dados e transformação digital

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) recomendou ao governo que garanta dotação orçamentária adequada e mecanismos de acompanhamento da digitalização do setor público.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G