GOVERNO » Compras Governamentais

Software Livre tem data marcada para morrer no governo: 11 de novembro

Luiz Queiroz ... 25/10/2016 ... Convergência Digital

Até o próximo dia 11 de novembro, todos os órgãos integrantes do SISP - Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação - deverão encaminhar manifestação de interesse em adquirir diversas soluções da Microsoft. Apesar de algumas grandes "exceções", é a primeira vez que o governo federal, após a era do PT no poder, compra sistemas proprietários da multinacional e de uma forma tão abrangente.

Ainda não se sabe os quantitativos nem quanto o governo estará disposto a gastar. Isso somente após a manifestação dos interessados se poderá conhecer em volumes e o valor total estimado para a contratação. Mas já se sabe de antemão o que o governo pretende comprar conjuntamente, em software e serviços Microsoft: Office, Windows Professional, Windows Server e Client Access Licence, por meio de licenças perpétuas e subscrições, para atendimento das demandas dos órgãos participantes.

A compra se dará por meio de Registro de Preços, que já tem um identificador para efeito de conhecimento dos interessados: IRP nº 16/2016 - UASG 201057 (esse é o código da Central de Compras no portal Comprasnet).

Não se sabe se a compra será ainda este ano ou não. Mas este portal aposta que será até o final de dezembro, o que representará um belo presente de Natal para as revendas Microsoft, que ao longo dos últimos 12 anos de governos do PT viraram uma espécie de simbolo da gastança e da dependência tecnológica multinacional, em detrimento de outras soluções proprietárias que não sofreram tamanho estigma.

Transparência

Mas a megacompra dessas soluções da multinacional agora significará o "tiro de misericórdia" numa política que sempre foi controversa dentro do governo, pois não foi adotada por organismos politicamente poderosos como, Receita Federal e Banco Central, além dos bancos oficiais. Desde o ano passado, por exemplo, a própria STI -Secretaria de Tecnologia da Informação (antiga SLTI) vinha dando sinais de fraqueza até mesmo no Ministério do Planejamento, quando não foi capaz de impedir que este comprasse soluções e serviços da Microsoft.

O interessante nessa intenção de compra é que ela ainda não era de conhecimento público e ocorre há apenas uma semana depois da Microsoft realizar um evento, de portas fechadas (sem o acesso da imprensa), com integrantes do governo. O evento serviu para a MS anunciar a escolha e a criação em Brasília do seu "Centro de Transparência", que tem por finalidade a segurança cibernética e a troca de informações com governos da América Latina sobre a origem de ataques virtuais.

Participaram do evento o ministro da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, os secretários, Maximiliano Martinhão (MCTIC) e Marcelo Pagotti (STI), além do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rolemberg e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

TSE manda Dataprev parar de usar dados da Justiça Eleitoral para avaliar auxílio emergencial

Pedido foi feito de forma oficial pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luiz Roberto Barroso. A alegação é que os BDs não informam o exercício de mandato eletivo.

Agência Espacial abre edital para lançamentos comerciais na base de Alcântara

AEB é responsável pelas tratativas iniciais com as empresas, nacionais ou estrangeiras, interessadas em utilizar a base brasileira para lançamento de veículos espaciais.

PL quer adiar venda do Serpro, Dataprev, Telebras e outras estatais

Proposta, que está em análise na Câmara dos Deputados, ressalta que o 'períodos de crise são um excelente momento para quem compra e péssimo para quem vende'. Privatizações estão agendadas para junho de 2021. Ideia é adiar as vendas para 12 meses após o fim da pandemia de Covid-19.

STF derruba MP que mandava teles repassarem dados de clientes ao IBGE

Prevaleceu o entendimento da relatora, Rosa Weber, de que a ordem de recolher nome, endereço e telefone de todos os clientes de telefonia fixa e móvel configura medida excessiva, sem finalidade delimitada ou garantias suficientes. 

Governo lança guia de melhores práticas de adequação à LGPD

Manual ressalta que o compartilhamento de informações na administração é possível, mas precisa respeitar os princípios da Lei Geral de Proteção de Dados. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G