SEGURANÇA

Defesa para ataques cibernéticos passa por definir ativos a serem protegidos

Roberta Prescott e Luiz Queiroz ... 04/10/2016 ... Convergência Digital

A motivação para os ataques cibernéticos hoje são diversas e vão desde as organizações bem financiadas, que possuem inclusive profissionais de marketing para vender as informações roubadas, até os chamados lobos solitários que fazem ações sozinhos.

Além disto, a maneira de agir dos criminosos muda constantemente, dificultando o combate por parte dos governos e das empresas, enfatizou Christopher J. Furlow, veterano da Casa Branca e atual presidente da Ridge Global, empresa consultoria de gestão de risco internacional, em entrevista à CDTV, do Convergência Digital, durante o WCIT 2016, que acontece em Brasília.

Para endereçar este desafio, Chris Furlow recomenda que as empresas e o governo identifiquem quais são os ativos mais importantes que precisam defender e quais são as vulnerabilidades antes de desenvolver um plano de ação. O especialista também comentou a dificuldade em se balancear privacidade e segurança dentro das políticas de prevenção de ataques cibernéticos. Assista ao vídeo.


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Golpe do 14º salário no WhatsApp atinge 770 mil brasileiros

Os golpistas pedem para o usuário conferir se tem direito a um dinheiro extra.

TSE fecha acordo de cooperação em TI com a Sociedade Brasileira de Computação

Acordo é abrangente e pode abordar tanto a segurança da urna eletrônica como questões internas de informática do Tribunal. 

Guerra cibernética passa a ter mesmo status de armas atômicas nos EUA

Comando Cibernético foi elevado em decisão anunciada por Donald Trump e com o propósito de "enfatizar o desenvolvimento de armas cibernéticas para impedir ataques, punir intrusos e enfrentar adversários".

STF autoriza extradição de hacker que teria fraudado US$ 4,85 milhões nos EUA

Tribunal deferiu pedido do governo dos Estados Unidos para extraditar Michael Knighten, que seria integrante de um grupo de criminosos cibernéticos autodenominado Techie Group.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G