INTERNET

Hackers usam WhatsApp e infectam mais de oito milhões de brasileiros

Convergência Digital ... 26/09/2016 ... Convergência Digital

Uma pretensa participação em pesquisa do consumidor via WhatsApp tem levado muitos usuários de smartphones a ter seu equipamento invadido por cybercriminosos em todo o Brasil. De acordo com dados da PSafe, empresa brasileira de segurança, o mais novo golpe na praça tem utilizado a marca do varejista Carrefour e impactou mais de oito milhões de pessoas em todo o país.

Segundo especialistas da companhia, uma mensagem solicita a participação em uma pesquisa e oferece a chance ao participante de receber um vale-compra no valor de R$500,00 da loja. Ao clicar no link, no entanto, o usuário acessa uma página maliciosa, resultando na invasão de seu smartphone.

Especialistas em segurança da PSafe explicam que este tipo de golpe tem sido cada vez mais frequente por não requerer alto nível de conhecimento técnico por parte dos hackers e ter alta disseminação, já que muitas pessoas têm o hábito de divulgar promoções para seus conhecidos sem checar se é verídica ou não. Além disso, os hackers aproveitam-se da popularidade de grandes marcas para atrair um maior número de vítimas.

Este golpe específico é dividido em quatro etapas:

1) O primeiro passo é a disseminação da falsa promoção entre grupos e contatos de WhatsApp, com um link que redireciona o usuário para uma página com informações falsas do Carrefour;

2)Em seguida, a vítima é convidada a responder quatro perguntas, como “Você é um cliente habitual?”, “Você já resgatou cupons de desconto no Carrefour?”, entre outras:

3)O usuário é induzido a compartilhar a falsa pesquisa com 10 amigos via WhatsApp, com a promessa de receber um voucher de R$ 500 para compras na loja;

4)Na quarta e última etapa, a vítima é direcionada para o preenchimento de um cadastro. Ao compartilhar, preencher os dados e divulgar as informações pessoais, pode ter seus dados expostos, ser cadastrado em serviços de SMS pago, baixar um aplicativo malicioso e ter prejuízo financeiro.

De acordo com a empresa, quando a promoção não for anunciada nos canais oficiais da marca ou redirecionar o usuário para outras páginas, desconfie. Se mesmo assim quiser participar, certifique-se de que a promoção é real, ao entrar em contato diretamente com a empresa. Nunca disponibilize dados pessoais ou propague links antes de fazer esta checagem.

Caso o usuário ainda não tenha um antivírus instalado no celular e tenha caído no golpe, deve desinstalar o app malicioso, baixar um antivírus e fazer uma varredura. Caso tenha sido cadastrado em algum programa pago de SMS, deve entrar em contato com a operadora e solicitar o cancelamento do falso serviço.



 






 




Revista Abranet 31 . maio-julho 2020
Veja a Revista Abranet nº 31
A pandemia da Covid-19 fez a rotina mudar num piscar de olhos. E coube à internet mostrar a sua força. O aumento significativo do tráfego de dados por conta do teletrabalho e do isolamento social foi uma realidade assustadora. Veja a revista completa.
Clique aqui para ver outras edições

No Brasil, 47% indicam comprar mais pela internet após Covid-19

Pesquisa da Salesforce também indica que os brasileiros são quase duas vezes mais propensos a fazer compras por meio de redes sociais que em outros países.

Ministério Público defende rastreamento de mensagens no PL das Fake News

Para a Câmara Criminal do Ministério Público Federal, a previsão deve ser mantida porque "mostra-se útil para a investigação de diversos ilícitos". 

Fake News: Sai versão em português de chatbot gratuito de verificação para o WhatsApp

Pelo chatbot da International Fact-Checking Network, usuários do OTT podem verificar se informações específicas que receberam sobre a COVID-19 já foram classificadas como "falsas", "parcialmente falsas", "enganosas" ou "sem evidência" por verificadores profissionais.

Comércio pela internet dispara e movimenta 12% das vendas no Brasil

Segundo pesquisa da Camara-e.net e da Compre & Confie, vendas em junho foram 110% superiores há um ano. Alta no semestre beira os 60%. 

Slack acusa Microsoft de impor o Teams vinculado ao Office

OTT alega que a empresa norte-americana está vinculando o Teams ao Office para forçar a aceitação do produto, que disputa espaço com o Slack e com o Zoom nessa era de pandemia.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G