NEGÓCIOS

Brasil melhora em ranking global de TI, mas vai mal em ciências e matemática

Luís Osvaldo Grossmann ... 06/07/2016 ... Convergência Digital

O Brasil teve uma leve recuperação, mas nem de longe conseguiu reverter o tombo do ano passado e aparece em 72º lugar em 139 países avaliados pelo Fórum Econômico Mundial quanto à competitividade em tecnologia da informação. Em 2015, quando caiu 18 posições nesse ranking global, o país foi o 75º Em 2012, o Brasil era o 42º. 

“Dos grandes mercados emergentes, a Rússia permanece inalterada, na 41a posição. A China vem em seguida, subindo três posições, para o 59o lugar. A África do Sul melhorou consideravelmente, subindo 10 posições até a 65ª, enquanto o Brasil se recuperou parcialmente de uma tendência de queda anterior, figurando em 72o neste ano, e a Índia caiu duas posições, para 91ª”, resume o relatório divulgado nesta quarta, 6/7. 

Ao analisar o Brasil especificamente, o documento diz que “a adoção e uso de TICs tanto por indivíduos como a comunidade empresarial é boa e suportada por ser acessível – em particular, conexões fixas de banda larga baratas (14o lugar). O Brasil deu passos largos na melhoria do uso individual, subindo cinco posições, para 57 – o que é um avanço considerável uma vez que outros países também estão se movendo rapidamente na adoção individual”. 

“No entanto, a preparação no país continua a ficar para trás devido o fraco ambiente regulatório. O ambiente de inovação e negócios é um dos mais fracos (124o), com disponibilidade de venture capital e de provisionamento de TI no governo caindo mais. O suporte governamental da agenda de TICs é percebido como fraco e a comunidade empresarial vê falhas na estratégia geral do governo (121o), assim como na promoção direta das TICs (122o).” 

O Fórum Econômico Mundial define competitividade como o conjunto de instituições, políticas e fatores que determinam o nível de produtividade de um país. O relatório analisa 49 variáveis em 10 pilares, nos quais o Brasil apresenta desempenhos distintos. Vai razoavelmente bem no nível de cobertura celular (35), pirataria de software (38), competição (41) e infraestrutura (55), mas pena em eficiência judicial (123) ambiente inovador (124), tributação (133) e burocracia (135). 

O relatório também aponta fatores estruturais preocupantes. Em especial, a qualidade do sistema educacional, no qual o Brasil aparece em 131 dentre 139 nações, e particularmente na qualidade do ensino de ciências e matemática, item em que aparece em 133o lugar – superando apenas Guatemala, Nicarágua, Peru, República Dominicana, Paraguai e África do Sul. 

O relatório completo pode ser conferido aqui


Cloud Computing
Nuvem será a base de 85% dos aplicativos de negócios até 2025

Cloud computing vai estar presente em todos os lugares e empresas nos próximos sete anos. Assim como a Inteligência Artificial em nuvem reduzirá o custo e a barreira de entrada e abrirá uma mina de ouro para o potencial de inovação e experimentação científica.

Clientes acusam NegocieCoins, do Banco Bitcoin, de sumir com dinheiro das contas

Apesar de ter 200 ações correndo na Justiça, na sexta-feira, 09/08, a corretora seguia vendendo bitcoins operando um volume de R$ 3,2 milhões. Companhia diz ter sido alvo de uma tentativa de fraude, em processo de investigação pela Polícia Civil.

Com Brasil à frente, investimentos em busca de “unicórnios” são recorde na América Latina

Os investimentos de venture capital quadruplicaram, para US$ 2 bilhões, nos últimos dois anos. Valor já superado em sete meses de 2019.

Justiça não pode relativizar registro concedido pelo INPI

A 2ª Câmara de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo entendeu que empresa de alimentos não poderia usar nome ‘Natura’, como reclamou a empresa de cosméticos. 

Passa a valer obrigação de reportar à Receita a compra e venda de criptomoedas

O Fisco relata que o mercado de moedas digitais no Brasil possui mais investidores que a Bolsa de Valores de São Paulo (B3), que têm cerca de 800 mil pessoas cadastradas. Além disso, esse mercado movimentou, apenas em 2018, mais de R$ 8 bilhões no país.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G