Home - Convergência Digital

App brasileiro de vídeo busca investidor para fazer diferente

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo - 16/05/2016

Empreender no Brasil não é tarefa simples e passa por obter captação de recursos. E esse foi o caminho feito pela Tecvidya, desenvolvedora do aplicativo Lynx, disponível para Android e iOS. O App é voltado para a transmissão ao vivo, bastante similar ao Periscope, do Twitter, ou o Facebook Live, do Facebook. Mas o alvo de mercado são as corporações.

"Admitimos que a banda larga é um gargalo, mas as empresas descobriram o vídeo e querem ter ferramentas para isso. Nossa ferramenta é para fomentar o uso de vídeo", sustentou em entrevista ao portal Convergência Digital, o CEO da Tecvidya, Rafael Multedo. Oito meses após seu lançamento, o app já possui 15 mil usuários por mês e 30 clientes. Até o fim do ano, a expectativa é o que o aplicativo consiga ter 100 mil pessoas utilizando a plataforma mensalmente.

Além das WebTVs, a Tecvidya conta com a plataforma corporativa Meritum (lançada em meados de 2015), produto de comunicação e treinamento que conta com uma tecnologia sofisticada possibilitando a criação e gestão de vídeos para empresas de médio e grande porte. Entre outras vantagens, o Meritum proporciona uma redução drástica nos custos de logística – substituindo viagens e horas de profissionais por apresentações em vídeo.

A plataforma de aplicação dos cursos em vídeo de compliance (ou seja, de governança corporativa, obrigatória nas empresas desde a promulgação da lei "anticorrupção", promulgada em dezembro de 2014), uma alternativa muito mais em conta aos cursos presenciais. “Hoje são oito clientes, contemplando mais de 5 mil colaboradores, que utilizam esse serviço customizável para aplicar treinamentos, cursos e comunicados importantes. Com painel de controle intuitivo, os processos de auditoria e administração do conteúdo e dos usuários se tornam fáceis e rápidos”, ressalta Multedo.

Questionado de como é complexo empreender no Brasil, o CEO da Tecvidya diz que falta cultura no Brasil para apostar no novo. "Há cobrança para se ter algo diferente. Mas os investidores querem investir no que já está explorado. São poucos que avançam no novo. Empreender é errar e acertar. Estamos buscando investidores para criar. Para avançar", pontua.

O Lynx seguiu em frente, conta Multedo, pelo esforço dos sócios da empresa e porque foi aprovado na primeira fase da aceleradora InovAtiva Brasil, frente 1400 concorrentes que disputam o programa. Graças ao app, a Tecvidya foi aceita no programa de mentoria Facebook Start, que renderá contatos diretos com os engenheiros e equipe comercial do Facebook, acesso a eventos privados, além de US$ 80 mil para investir em desenvolvimento.



Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/11/2019
Em São Paulo, Uber vai mostrar opções de transporte público

24/10/2019
Em decisão divergente, TRT-SP diz que não há vínculo de motorista com Uber

24/10/2019
GT da Câmara exclui acesso a chave criptográfica de pacote anticrime

22/10/2019
Nova decisão judicial vincula motorista a Uber

21/10/2019
Justiça de SP derruba inspeção anual de app de transporte

15/10/2019
App permite ao MPDFT concluir inventário de bens móveis em sete dias

01/10/2019
Servidores federais em SP adotam Táxigov, o app do governo

27/09/2019
TJ da Bahia cria app com IA e biometria para agilizar queixa do consumidor

18/09/2019
Apps de documentos pessoais e veículos são os mais procurados no SP Serviços

13/09/2019
Governo cria loja própria para evitar fraudes e unificar acesso aos apps

Destaques
Destaques

5G exige políticas públicas e apoio do Governo

Como ressalta o diretor de relações governamentais da Huawei, Carlos Lauria, investimentos pesados em infraestrutura de redes envolvem políticas públicas em qualquer país. 

Redes privadas no 5G impulsionam o crescimento econômico do País

“Nas quatro verticais indicadas pelo governo as redes privadas podem ter impacto forte. Por isso a abertura regulatória é muito importante”, defende a gerente da Qualcomm, Milene Pereira. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site