Convergência Digital - Home

Google perde vez no Brasil por teimosia em não ter data center local

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 10/05/2016

As três principais preocupações do gestor de Tecnologia da Informação no Brasil para investimentos em 2016 são: infraestrutura e Data center, BI e Analytics e cloud computing, revela estudo do Gartner. E nessa estratégia, o Google  - que se consolida nos Estados Unidos como fornecedor de cloud do governo, por exemplo - ao resistir a ter um data center no Brasil está perdendo vez e espaço para rivais diretos como a Microsoft e a Amazon.

"A Microsoft tem quatro data centers no Brasil. E com isso recuperou boa parte dos clientes perdidos para o Google. As organizações estão exigindo seus dados armazenados no país. A pressão é corporativa não é mais do governo", sustentou o vice-presidente e analista emérito do Gartner, Donald Feinberg.

"A SAP, que também promete, agora, está usando o da IBM. Não haverá missão crítica em cloud se não houver data center no país. E com isso, Microsoft, Amazon e empresas locais, como a TIVIT, e outras que tenham data center crescem na preferência", acrescentou o especialista do Gartner, que nesta terça-feira, 10/05, participou de coletiva de Imprensa da Conferencia Gartner Business Intelligence, Analytics & Information Management, realizada em São Paulo.

Os especialistas do Gartner destacaram o momento econômico do Brasil e projetam que o gasto com TI em 2016 ficará em torno de US$ 80 bilhões, bem abaixo dos US$ 114 bilhões, registrados em 2014 e ainda abaixo dos US$ 95,6 bilhões do ano passado.

"2016 será melhor do que 2015, quando a queda nos gastos ficou em 30%. Esse ano, ainda haverá um resultado negativo de 12,9%, mas a boa nova é que acreditamos que voltará a ficar positivo em 2017, com cloud computing liderando esses aportes. A crise determina investir em cloud computing", completou Donald Feinberg.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

PowerEdge MX - Conteúdo Patrocinado Dell EMC - Convergência Digital
Dell quer acelerar migração de blades por transformação digital

Com o Dell EMC PowerEdge MX, a fabricante se dispõe a levar as aplicações críticas para o ambiente aberto e x86. Objetivo é acelerar a mudança do parque de TI dos blades não apenas na própria base, mas avançar na carteira dos concorrentes, revela Raymundo Peixoto, vice-presidente de Soluções de Data Center da Dell EMC América Latina.


Destaques
Destaques

Chips com Inteligência Artificial são aposta da Huawei para negócios na nuvem

A fabricante chinesa anunciou dois novos chips especialmente voltados para o mercado de nuvem e direciona seus negócios para enfrentar Qualcomm e Intel no segmento de servidores.

São Paulo está em piloto do BID para uso do big data para demandas sociais

“Se grandes Amazon e Google conseguem antecipar demandas, não tem porque o governo não atender dessa forma”, diz o pesquisador da FGV, Pablo Cerdeira.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Dados são os dividendos dos tempos atuais

Por Wilson Grava*

Cada vez mais, precisamos ser capazes de analisar e reagir rapidamente aos dados criados. Os últimos dois anos foram responsáveis pela geração de 90% dos dados existentes no mundo.

Dos ambientes offline à estratégia MultiCloud

Por Fabio Gordon*

É preciso reconhecer a necessidade de mudança, entender que o seu data center de 20 anos não vai mais suportar os negócios digitais. É imprescindível fazer um diagnóstico do seu ambiente de TI e começar a mudar. E rápido, porque é provável que os seus competidores já estejam fazendo isso.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site