TELECOM

Em reestruturação, Oi demite cerca de dois mil funcionários

Ana Paula Lobo* ... 10/05/2016 ... Convergência Digital

Com o desafio de negociar com os seus credores uma dívida, estimada em US$ 14 bilhões, a Oi promove um corte de aproximadamente dois mil funcionários. Segundo fontes da empresa, a redução de pessoal acontece nos cargos administrativos. A parte operacional - voltada para o atendimento ao cliente - não estaria sendo afetada. Mas há notícias de demissões de diretores e gerentes em todo o país.

Em nota oficial encaminhada ao portal Convergência Digital, nesta terça-feira, 10/05, a Oi explica que a transformação do negócio segue sendo a prioridade máxima, como a recente mudança do modelo comercail e de marca direcionados aos novos hábitos de consumo.

No comunicado, a Oi destaca que, em 2016, "foram incorporadas posições técnicas na empresa de operação e manutenção de rede de acesso do Grupo, envolvendo a região sul e sudeste do Brasil. Este movimento é bastante desafiador considerando as questões financeiras envolvidas, porém estruturante para a Companhia atingir seus objetivos estratégicos".

A operadora sustenta ainda que as medidas de contenção acontecem "com o intuito de manter níveis de rentabilidade e produtividade para fazer frente ao cenário macroeconômico atual, a Oi está realizando uma readequação da sua estrutura administrativa baseada na busca contínua de eficiência".

No balanço financeiro do quarto trimestre de 2015, divulgado no dia 24 de março, a Oi informou que o endividamento bateu em R$ 54,98 bilhões ao fim de um ano em que as receitas caíram, ainda que pouco (0,5%). O prejuízo, que foi de R$ 4,5 bilhões em 2014, aumentou para R$ 5,3 bilhões. O Convergência Digital publica a íntegra da nota da Oi encaminhada à Imprensa.

POSICIONAMENTO OI

A Oi iniciou em 2015 um plano de transformação do seu negócio e de sua estrutura de capital, com a adoção de diversas iniciativas que geraram avanços operacionais relevantes e possibilitaram a entrega de guidances que haviam sido anunciados ao mercado.

Para manter sua trajetória de crescimento, a Oi vem aprofundando as medidas que visam à melhoria do negócio, promovendo iniciativas comerciais, de infraestrutura e gestão.  Uma das iniciativas relevantes é o fortalecimento das estruturas operacionais para sustentar uma evolução na qualidade da prestação de serviços com impacto positivo na experiência do cliente.  Esse é um dos principais focos da Organização, que promoveu recentemente um reposicionamento comercial e de marca direcionados aos novos hábitos e tendências de consumo.

Em função disto, no ano de 2016 foram incorporadas posições técnicas na empresa de operação e manutenção de rede de acesso do Grupo, envolvendo a região sul e sudeste do Brasil. Este movimento é bastante desafiador considerando as questões financeiras envolvidas, porém estruturante para a Companhia atingir seus objetivos estratégicos.

Com o intuito de manter níveis de rentabilidade e produtividade para fazer frente ao cenário macroeconômico atual, a Oi está realizando uma readequação da sua estrutura administrativa baseada na busca contínua de eficiência.

A Oi continua sendo um dos maiores grupos empregadores do país, gerando cerca de 146.000 empregos diretos e indiretos em todo o território nacional. A Oi tem uma estratégia de negócios para os próximos três anos com foco em digitalização, convergência e dados, associado a um planejamento que mantém forte direcionamento para controle e corte de custos.



Segue a sangria nas linhas de telefonia fixa no Brasil

Em novembro, foram contabilizadas 135.964 mil linhas a menos e o país fechou o décimo primeiro mês de 2017, com quase 41 milhões de linhas ativas. Oi, Claro, TIM e pequenos prestadores de STFC puxaram a queda de linhas em serviço.

Plano da Oi prevê investimentos abaixo do necessário, diz Anatel

Para agência, os R$ 4 bilhões previstos de dinheiro novo na operadora não são suficientes para que a Oi alcance o nível anual de aportes dos concorrentes. “Se não acompanhar, vai continuar perdendo mercado”, diz Juarez Quadros. 

Claro repete que há muitas operadoras no Brasil e resiste à entrada dos chineses na Oi

"O mercado já está instável com quatro operadoras. Os chineses têm uma mistura com o governo. Com quem iríamos brigar?", criticou o presidente José Félix. Não é a primeira vez que a Claro diz que o mercado nacional comporta apenas três players.

Eletrosul testa suporte por satélite com Telebras e Hughes

Com 11 mil km de linhas de transmissão, a empresa é responsável por aproximadamente 10% do sistema de transmissão do País. Piloto terá duração de 60 dias.

Rede fixa três vezes maior do que a das rivais será o futuro da Oi

O diretor de Tecnologia de Redes e Sistema da Oi, Pedro Falcão, sustentou que o backbone óptico e as redes metropolitanas são a 'joia da coroa' e despertam a ambição dos concorrentes. "A Internet de Tudo exigirá muita rede fixa", frisou.

Oi unifica mainframes para acelerar serviços digitais

Tele também montou o Centro de Gerência de Serviços, em Brasília, com a missão de unificar as ações em áreas como recarga de pré-pago e faturamento.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G