INCLUSÃO DIGITAL

Telebras assume Banda Larga nas Escolas

Luís Osvaldo Grossmann ... 09/05/2016 ... Convergência Digital

Como já vinha sinalizando, a Telebras vai assumir a tarefa de levar conexões a internet às escolas públicas do país. Na prática, fica com a tarefa que até aqui era das grandes operadoras privadas, mas que na grande maioria das instituições não entregaram conexões com mais de 1 Mbps ou 2 Mbps. 

Em recursos, é de longe a principal missão do novo plano nacional de banda larga, ou Brasil Inteligente, como foi batizado. O orçamento inicial, já para 2016, é de R$ 350 milhões. Mas a costura no governo promete mais R$ 1,5 bilhão em recursos do Ministério da Educação – em parcelas de R$ 400 milhões, R$ 500 milhões e R$ 600 milhões ao longo dos três próximos anos. 

O valor total, no entanto, pode ficar maior. Paralelamente há o objetivo de que o Tesouro Nacional faça aportes do mesmo tamanho do MEC, o que injetaria outro bilhão e meio na Telebras. Mas essa parte da conta ficou fora do anúncio do novo programa, nesta segunda, 9/5. E no fundo há dúvidas de que isso sobreviva caso confirme-se o afastamento da presidenta Dilma Rousseff. 

“Vamos substituir as redes ADLS que hoje atendem as escolas por fibras ópticas. A ideia é criar uma grande plataforma nacional de alta velocidade, com pelo menos a media de 78 Mbps. Hoje, 90% das escolas são conectadas a 1 ou 2 Mbps, o que é nada para uma escola com milhares de alunos. E mais do que isso, vamos avançar nos conteúdos digitais”, diz o presidente da Telebras, Jorge Bittar. 

Além das fibras chegando às escolas e dos acessos WiFi, o projeto prevê a implantação de redes de distribuição de conteúdos (CDNs, na sigla em inglês) para que as escolas acessem a material pedagógico digital. A primeira etapa do projeto prevê o atendimento a 30 mil escolas, com 20 milhões de alunos, até 2019. Se efetivamente houver o aporte suplementar pelo Tesouro, esse número aumento. 

O secretário executivo do MEC, Luiz Claudio Costa, explica que já foram identificadas 26 mil escolas mais necessitadas. “Elas representam 70% da nossa grande deficiência de alfabetização nos anos iniciais, por isso essas escolas foram priorizadas”, explicou. Paralelamente, a internet de alta velocidade pode endereçar outra dificuldade, que é a formação dos professores. 

“Temos 2 milhões de professores e um grande percentual não é formado. Por exemplo, 75% dos professores de Física não são formados em Física. Nisso entra a Universidade Aberta, porque esses professores não vão fazer cursos presenciais, mas à distancia. Então poderão fazer isso em suas escolas, em suas cidades”, disse Costa. 


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Viasat: TCU controla viabilidade de acordo com Telebras

Segundo a vice presidente da empresa, Lisa Scapone, a demanda existe e pode ser medida pelo Gesac, mas operação comercial no Brasil depende dos ajustes no contrato para uso do satélite nacional.

PC fica cada vez mais distante da população mais pobre no Brasil

Dados do IBGE revelam que os mais pobres do País trocaram os PCs pelos celulares e tablets. A proporção da população com acesso à internet no domicílio passou de 67,9% em 2016 para 74,8% em 2017.

Parceira da Telebras amplia WiFi via satélite no México para áreas urbanas

Dois anos depois de começar a explorar banda larga satelital em áreas remotas do país, como promete fazer no Brasil, a empresa americana Viasat anuncia conexões de 100 Mbps e preços para competir com internet fixa.

Para TCU, políticas desconexas desperdiçam dinheiro com inclusão digital

Ao citar a política de Banda Larga, Tribunal observa que a falta de coordenação gera redundância, falta de isonomia e obstáculos à oferta de serviços.

CPFL: É preciso predisposição para se ter um consenso no uso dos postes

"Não é fácil, mas é preciso existir um alinhamento. Estão todos do mesmo lado", diz o diretor da CPFL, André Luiz Gomes.

Swap de fibras é mandatório para levar banda larga em regiões desassistidas

Compartilhamento de infraestrutura é essencial para reduzir custos e definir modelos de negócios nas cidades onde as teles não investiram, observa o CEO da UmTelecom, Rui Gomes.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G