SEGURANÇA

Segurança cibernética tem de ser obrigatória no currículo das escolas

Ana Paula Lobo ... 31/03/2016 ... Convergência Digital

Seminário Brasscom - Cobertura EspecialSegurança da Informação e Segurança Cibernética têm de estar no currículo das escolas e o Governo negocia com o Ministério da Educação, uma maneira de inserir a matéria na grade curricular. A posição foi defendida pelo Coordenador Geral do Núcleo de Credenciamento de Segurança da Casa Militar da Presidência da República, João Rufino Sales, que participou nesta quinta-feira, 31/03, do Seminário Políticas Públicas & Negócios, realizado pela Brasscom, em Brasília.

"Estamos formando profissionais - mais de 1000 já foram treinados - mas não temos fôlego para gerar tantos qualificados como podemos ter com segurança como matéria curricular. E a sociedade conectada exige esse tipo de atuação", colocou Rufino Sales. "Não adianta fazer cursinhos para funcionários públicos. Cobrimos uma necessidade, mas não resolvemos o problema", acrescenta o especialista da Casa Militar da Presidência da República.

Ainda de acordo com Rufino Sales, a segurança só vai atingir um patamar necessário a partir da mitigação do risco. "Tecnologia não é o único ponto importante da Segurança da Informação. Ela é importante. Mas não é única. É preciso capacitação e mudança de processo. Sem isso, não há segurança", completou.


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Guerra cibernética passa a ter mesmo status de armas atômicas nos EUA

Comando Cibernético foi elevado em decisão anunciada por Donald Trump e com o propósito de "enfatizar o desenvolvimento de armas cibernéticas para impedir ataques, punir intrusos e enfrentar adversários".

STF autoriza extradição de hacker que teria fraudado US$ 4,85 milhões nos EUA

Tribunal deferiu pedido do governo dos Estados Unidos para extraditar Michael Knighten, que seria integrante de um grupo de criminosos cibernéticos autodenominado Techie Group.

GhostCtrl: o malware que transforma o celular em espião

Segunda versão do GhostCtrl pode bloquear a tela do dispositivo, redefinir sua senha e também rotear o aparelho infectado.

Em dois anos, ransomware levou R$ 80 milhões

Estudo apresentado nesta terça,25/7, em duas universidades dos Estados Unidos, além da Google, investigou 34 famílias de vírus desde o início de 2016. 



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G