INTERNET

Acabou o estoque de IPv.4 no Brasil e na América Latina

Luís Osvaldo Grossmann* ... 10/06/2014 ... Convergência Digital

A alocação de endereços IPv4 no Brasil entra a partir desta terça-feira, 10/6, em “terminação gradual”, como definiu o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR, ou NIC.br. Trata-se do “fim” dos recursos da versão 4 de endereçamento IP e significa o início de racionamento severo.

O anúncio foi feito pelo NIC.br e pelo LACNIC, a entidade que distribui endereços para América Latina e Caribe. “Perto do esgotamento na região, adotou-se um estoque único. Quando o estoque da região termina, o estoque do Brasil também chega ao fim”, explica o diretor-presidente do NIC.br, Demi Getschko.

O efeito prático desse anúncio conjunto é que a partir de agora organizações no Brasil poderão receber, no máximo, 1024 endereços IP (equivalente a um prefixo /22) a cada seis meses, mesmo que justifiquem a necessidade de blocos maiores.

Descreve o NIC.br que “para esse processo de terminação gradual foi reservado o equivalente a dois milhões de endereços IPv4 através de uma política proposta e aprovada pela própria comunidade Internet”. Acabado este estoque, existirão ainda dois milhões de endereços IPv4 que serão distribuídos somente para novos solicitantes, limitados a uma única alocação por solicitante de, no máximo, 1024 endereços.

O “esgotamento” dos endereços não só era esperado como já se deu na Ásia, há três anos, e na Europa, há dois. O estoque de endereços IP é um recurso finito, limitado a quatro bilhões de endereços na versão 4. “A solução para o contínuo crescimento da rede é o uso do protocolo IP na versão 6 (IPv6)”, lembra o NIC.br.

Essa mudança de um sistema de endereços em 32 bits para 128 bits permite uma infinidade (340 ‘undecilhões’) de combinações que, imagina-se, durará para sempre, ou quase – como um dia se imaginou sobre o IPv4. É preciso a adesão maciça das redes e dos equipamentos para a Internet manter a expansão.

“O esgotamento de endereços nessa versão do protocolo faz parte do crescimento da Internet, e no Brasil seu crescimento é notavelmente grande. Nesse momento, a preocupação principal é estimular a adoção do IPv6”, sustenta Demi Getschko.

De acordo com o NIC.br, 68% das organizações no Brasil que fazem parte da Internet como Sistemas Autônomos já se conscientizaram e alocaram blocos IPv6. “É muito importante intensificar o esforço para a adoção do novo protocolo.”

* Com informações do NIC.br


Demi Getschko segue no comando operacional, mas governo faz ajustes no NIC.br

Maximiliano Martinhão - secretário de Política de Informática (Sepin) será o presidente do Conselho de Administração, onde também entra Luiz Fernando Castro. Nos bastidores, concentração de postos no Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações enciumou outras áreas do governo. 

Net, Vivo e Oi concentram 84,6% da banda larga fixa no Brasil

Números de maio também mostram que mais da metade das conexões à internet no país ainda se escoram sobre a rede legada de fios de cobre – alvo preferencial das mudanças nas regras dos bens reversíveis. 

Entidades lançam campanha Internet sob ataque no Brasil

Movimento Coalização Direitos na Rede, que reúne 10 entidades, denuncia as seis principais ameaças à Rede no Brasil. Entre elas, a portaria que estabelece a Anatel para promover a revisão do atual modelo dos serviços de telecomunicações e o risco ao Marco Civil da Internet.

Ativista que derrubou ‘Porto Seguro’ diz que ‘Escudo da Privacidade’ também vai cair

O advogado austríaco Max Schrems, autor do processo judicial que levou ao cancelamento do acordo sobre transferência de dados entre Europa e Estados Unidos,  diz que o novo acordo mantém os furos contra a privacidade dos internautas.

Iniciativa lista PLs sobre privacidade e liberdade de expressão na internet

Organizada pela Coding Rights (codingrights.org), relação é colaborativa e até aqui reúne 58 propostas legislativas com impacto sobre o uso da rede, como as propostas oriundas da CPI dos Crimes Cibernéticos. 

Revista Abranet 16 . Abril 2016
Veja a Revista Abranet nº 16 Um novo horizonte para os provedores. Ao comprar lotes no leilão de sobras de frequência, provedores de Internet de diversas regiões poderão ofertar banda larga fixa usando a tecnologia LTE, ou 4G.
E mais...
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G