GESTÃO

Uruguai promulga Lei de Software Livre

Da redação ... 06/03/2014 ... Convergência Digital

A Lei de Software Livre do Uruguai, promulgada recentemente, tem como destaque a obrigatoriedade do Estado distribuir informações em pelo menos um formato aberto, padrão e livre. Softwares desenvolvidos e contratados pelo governo devem ser, preferencialmente, licenciados como livres ao serem compartilhados.A lei também considera de interesse geral que o sistema educacional proceda de forma a promover a utilização de software livre.

A entrada em vigor da legislação reforça o uso do Expresso V3, desenvolvido pelo Serpro, na Antel (empresa estatal de telecomunicações do Uruguai). Segundo a agência uruguaia, o caráter livre da solução foi um dos motivos pelos quais o V3 foi escolhido.

De acordo com o secretário executivo Deivi Lopes Kuhn, do Comitê Técnico de Implementação de Software Livre do Governo Federal (Cisl), a aprovação da lei é um grande passo para a adoção e o planejamento de software livre e serve de exemplo para a América latina. "E o desafio está em conseguir prioridade na administração pública para implantar a mudança", acrescenta Kuhn.

Outro ponto destacado por ele é que o fortalecimento do uso do software livre pelo país vizinho possa impulsionar a cooperação e o trabalho conjunto entre Uruguai e Brasil. “Quando trabalhamos com software livre, o conhecimento é compartilhado. Podemos cada vez mais trabalhar juntos para produzirmos tecnologia de maneira compartilhada e conjunta”, explica Kuhn


IVA encerra a disputa entre Governo, Estado e município

Além disso também permite retirar a alta carga tributária imposta aos setores de Telecom e Energia, os carros-chefes da arrecadação, pontua o advogado Luiz Roberto Peroba.

eSocial: é ilusão achar que não precisa correr para adaptar os sistemas

Novo prazo pode ter ficado mais longo - janeiro de 2018, mas as mudanças são complexas e exigem que as corporações não relaxem.

Justiça do Rio manda Microsoft indenizar consumidores por falha no Windows 7

A 4ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro afastou a possibilidade de dano coletivo por problemas na atualização do sistema operacional, em 2013, mas determinou a reparação individual de quem comprovar prejuízos. 

CNS vai ao STF contra decisão de São Paulo de cobrar ICMS de software

Confederação Nacional de Serviços diz que decisão do Estado significa uma bitributação, uma vez que as empresas pagam o ISS. "Software não pode ser considerado uma mercadoria", sustenta a ação.

Para bancar Telebras, governo maquia gastos com Serviço de Comunicação Multimídia

Sob o argumento de elevação dos gastos com o incremento da banda larga no país, governo mascara os constantes aumentos de capital da Telebras que garantem a sobrevivência financeira da estatal, ainda inoperante do ponto de vista comercial.



  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G