TELECOM

Com rede Fon, Oi dispara e fica com 91,5% do mercado Wi-Fi no Brasil

Ana Paula Lobo* ... 02/09/2013 ... Convergência Digital

A Anatel incorporou os hotspots da Fon à rede da Oi que pulou de 18.611 hotspots, no 2º trimestre, para 61.815, em agosto. A parceria com a Fon, provedora mundial de wi-fi compartilhado e que chegou à América Latina por meio dessa aliança comercial, foi firmada em 2011. Na segunda posição do ranking, e bem distante, está a Net, com 3503 hotspots. A TIM foi a tele móvel que mais cresceu no período: passou de 84 para 250 hotspots, mas também fica bem longe da Oi.

Os dados, contabilizados pelo portal Teleco, mostram que o Brasil atingiu a marca de 67.537 hotspots privados em agosto, segundo a contabilidade da Anatel. A operadora privada Linkel, segundo a agência reguladora, está na terceira posição com 1640 hotspots. A Vivo aparece com 175 hotspots, mas não altera a sua presença desde maio. A Sercomtel soma 132 pontos. Em maio, eram 119 hotspots.

Nos hotspots públicos, contabilizados pela JiWare, classificada pelo Teleco como a única fonte pública disponível como fonte de dados, o país chegou a 4221 hotspots públicos. Mas o próprio Teleco diverge dessa métrica, ao constatar que a maioria dos hotspots das Linktel não está contabilizada. Segundo o Teleco, hoje, há cerca de 6 mil hotspots públicos no país.

Os dados servem para mostrar que de 2009 para cá, pouco se fez no Wi-Fi público. São Paulo segue à frente com 2.567 hotspots, mas em 2009, eram 2.446, o que denota um baixo crescimento em cinco anos. Na segunda posição aparece o Rio de Janeiro com 490. Em 2009, eram 460. O Paraná está na terceira posição com 167 hotspots. Eram 150, há cinco anos.

Numa comparação mundial, o Brasil segue muito, muito atrás no ranking mundial com 0,7% dos 826.480 hotspots, contabilizados em mais de 140 países A China, por exemplo, de acordo com o JiWare, tem 104.106 hotspots. A Rússia, 16.829. A Coreia do Sul lidera o mercado com 186.758. O Reino Unido aparece com 182.654 e os Estados Unidos com 143.645.

*Fonte: portal Teleco - www.teleco.com.br


Política pública de Telecomunicações é para ser bancada pelo Estado

"Telecom e TICs são essenciais para toda a indústria produtiva de um país", sustenta a advogada Helena Xavier. Ela defende o fim de todas as contribuições setoriais. "Elas nunca chegam ao setor". Sobre OTTs e teles, diz que tudo é uma questão de preço.

Roubo de cabos e rádios de telecom custa R$ 320 milhões ao ano às operadoras

SindiTelebrasil adverte que no ano passado foram registradas 5,6 mil ocorrências de roubo, furto e receptação de elementos de redes de telecomunicações. Só de cabos foram mais de quatro milhões de metros furtados.

Oi faz projeto piloto e libera WiFi para clientes de outras operadoras

Do total de dois milhões de hotspots da operadora, 470 mil ficam no Rio de Janeiro. Liberação do uso para não clientes faz parte da estratégia de marketing móvel.

João Rezende deixa Anatel sobre pressão do caso Oi, franquia da banda larga e renovação dos contratos das teles

Na agência desde 2009 e na presidência desde 2011, o ex-presidente da agência enfrentou um crítico 2016.

Revista do 59º Painel Telebrasil 2015
Veja a revista do 59º Painel Telebrasil 2015 As principais empresas prestadoras de serviços e da indústria de telecomunicações e autoridades governamentais e do Legislativo se dedicaram a discutir o tema escolhido para este ano: A evolução dos modelos de negócio das telecomunicações: Desafios políticos e regulatórios.
Clique aqui para ver outras edições


  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G