SEGURANÇA

Conficker segue sendo o grande vilão para as corporações

Da redação ... 27/04/2012 ... Convergência Digital

O worm Conficker – programa malicioso que se replica e espalha para outros computadores – foi detectado cerca de 220 milhões de vezes em todo o mundo nos últimos dois anos e meio, tornando-se uma das maiores ameaças para as empresas. De acordo com relatório divulgado pela Microsoft, as detecções trimestrais do worm aumentaram em mais de 225% desde o início de 2009. Somente no quarto trimestre do ano passado, ele foi detectado em 1,7 milhão de sistemas em todo o mundo.

A pesquisa mostrou ainda que 92% das infecções resultaram de senhas fracas ou roubadas, e 8% exploravam vulnerabilidades. "O Conficker é um dos maiores problemas de segurança que enfrentamos, mas está ao nosso alcance nos defender dele, basta adotar fundamentos básicos de proteção", disse Tim Rains, diretor de computação confiável da Microsoft.

O Brasil tem registrado por muito tempo um índice de detecções superior ao da média em roubo de senhas e ferramentas de monitoramento por causa da prevalência de malwares (ou códigos maliciosos) como Win32/Bancos e Win32/Banker que têm como alvo clientes de bancos. O estudo analisou dados de mais de 600 milhões de sistemas no mundo.


Oracle libera 'pacotaço' de correções para brechas na Java

O pacote de correções também vale para o banco de dados da companhia. "É preciso rodar as correções Java o quanto antes", adverte o CTO da Oracle.

Roubo de dados explode e aumenta 2.100% no Brasil em 12 meses

País lidera o ranking de países mais vulneráveis no quesito de segurança da Informação. O custo per capita da violação de dados passou de R$ 175,00 para R$ 225,00.

Ataques direcionados tiram o sono dos gestores de rede

Combater o invisível - o que não se previne com as ferramentas tradicionais - é, hoje, a missão da Segurança da Informação, diz o diretor geral da Kaspersky Lab do Brasil, Cláudio Martinelli.

Brasil é o país mais afetado no mundo pelo cibercrime como serviço

XDedic, fórum internacional usado por cibercriminosos comercializa mais de 70 mil servidores para invadir infraestruturas de empresas, denuncia os pesquisadores da Kaspersky Lab. Boa parte desses equipamentos é responsável pelos ataques de negação de serviço, o DDoS.



  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G