TELECOM

TIM reforça capacidade e vai pro leilão 4G

Ana Paula Lobo ... 27/04/2012 ... Convergência Digital

Apesar de sustentar a tese que não havia necessidade de fazer o leilão da frequência neste momento, o presidente da TIM, Luca Luciani, deixou claro que a operadora vai participar do processo de licitação. Segundo o executivo, 'a oferta segmentada desenhada pela Anatel não exclui nenhuma operadora'. Empresa também reforça capacidade do backhaul com substituição dos circuitos alugados em cobre por conexões com fibra. "Teremos 1,7 mil antenas conectadas com fibra no Rio e em SP. Até o final do ano, estaremos nas 12 capitais sedes da Copa do Mundo".

Luciani falou sobre o leilão 4G, logo depois do anúncio realizado pela Anatel, durante a teleconferência com a imprensa para a divulgação dos resultados do primeiro trimestre de 2012. O tema, como não poderia deixar de ser, dominou as perguntas de jornalistas e analistas. Mesmo sem detalhar como será a sua participação - expectativa é que a TIM não formule interesse real na compra da faixa de 450 Mhz - o presidente da operadora considerou as regras anunciadas pela Anatel como 'interessantes, uma vez que deixa espaço para investimentos pós-aquisição de licenças'. Reforçou ainda que a competição não será travada no preço da licença, mas, sim, no desenvolvimento da infraestrutura.

Mas o tom crítico à necessidade do leilão 4G este ano foi mantido. "Não vemos razão para fazer o leilão agora porque temos muito a crescer com o 3G e com o HSPA+, que aumenta a velocidade para 42 Mbits, mas trata-se de uma evolução natural do cenário e,claro, vamos acompanha-lo", afirmou Luciani. Um dos pontos altos da apresentação da TIM foi o anúncio que a operadora irá interconectar 1700 antenas com fibra no Rio e em São Paulo, até o final deste ano. Também começará a expandir a rede de fibra para as 12 capitais sede da Copa do Mundo.

"Estamos trocando os circuitos alugados, muitos deles, em cobre com velocidades de 8 Mbits, por uma rede de fibra, que em São Paulo, nos dará conexões de 300 Mbits", afirmou o presidente da TIM. E será nessas antenas que a operadora planeja instalar os sites para a oferta do 4G. "Sem capacidade, não há 4G. O nome do jogo segue sendo a transmissão". TIM também informou que até dezembro, metade das ERBs 3G instaladas em São Paulo serão migradas para o HSPA+, que aumenta a velocidade de download para 42 Mbits. A migração para o HSPA+, diz ainda Luciani, acontecerá em todas as capitais.

Resultados

A TIM registrou no 1º trimestre de 2012, um lucro líquido cresceu 30% (ano a ano) e atingiu R$ 276 milhões no primeiro trimestre, confirmando a consolidação de um modelo de negócios inovador, criado a partir da simplificação das ofertas para os segmentos de voz e dados e capaz de combinar crescimento de base com rentabilidade.

O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 1,2 bilhão no trimestre, alta de 13,2% ano a ano. O EBIT (lucro antes de juros e impostos) alcançou R$ 512 milhões, 46,4% superior ao registrado no mesmo período de 2011.

O crescimento da receita foi alavancado pela internet móvel e pelo aumento da penetração dos smartphones. A receita bruta cresceu 21,5%, totalizando R$ 6,6 bilhões no período (a receita liquida atingiu R$ 4,5 bilhões no período, com crescimento de 19,1%), baseada na aceleração dos dados: aumento de 56% na comparação ano a ano, atingindo um patamar de R$ 1 bilhão. A penetração de smartphones e tablets na base de usuários em um ano passou de 12,6% para 31%.

Os investimentos em infraestrutura nos primeiros três meses do ano totalizaram R$ 543 milhões, valor 83% superior ao aplicado no mesmo período de 2011. A empresa, portanto, continua a crescer a capacidade da rede voz e expandir a rede dados. A cobertura 3G atinge agora 512 cidades em todo o País, avançando no desafio de passar, até o fim de 2013, de 6 mil para 10 mil antenas.

O grande esforço do primeiro semestre, revela a TIM, é a integração da rede móvel da TIM com a rede de fibra da TIM Fiber, adqurida com a compra da AES Atimus, no ano passado, para expandir a capacidade: até hoje 1.030 antenas foram conectadas em São Paulo e Rio para atingir 1.477 até junho. Até o fim do ano serão 1.777 antenas conectadas à fibra.


CADE pede condenação de empresas do mercado de recarga de telefones celulares

A prática anticompetitiva do mercado de distribuição de recarga eletrônica no pré-pago teria acontecido entre 2007 e 2009, quando o mercado movimentou cerca de R$ 3,5 bilhões.

Brasília revoga lei que restringia instalação de antenas de celular

Projeto assinado por 20 dos 24 deputados distritais foi aprovado em menos de um mês e revoga a Lei 3446/2004, que impedia a instalação de ERBs em escolas e a menos de 50 metros de qualquer habitação. 

Claro amplia vantagem sobre TIM em mercado que continua em queda

São 252,5 milhões de chips de celular ativos no país, um recuo de 31,5 milhões desde o pico, em maio de 2015. Queda se concentra no pré-pago, enquanto 4G segue em alta. 

Não interessa a ninguém a Oi quebrar

A Anatel terá de usar todos os seus chapéus e fazer de tudo para não ser confundida como representante do Estado na recuperação judicial da operadora, pontua Eduardo Ramires, advogado doManesco, Ramires, Perez, Azevedo Marques.

Revista do 59º Painel Telebrasil 2015
Veja a revista do 59º Painel Telebrasil 2015 As principais empresas prestadoras de serviços e da indústria de telecomunicações e autoridades governamentais e do Legislativo se dedicaram a discutir o tema escolhido para este ano: A evolução dos modelos de negócio das telecomunicações: Desafios políticos e regulatórios.
Clique aqui para ver outras edições


  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G