GESTÃO

Dataprev mantém demissões e gera crise com sindicatos

Luiz Queiroz ... 17/04/2012 ... Convergência Digital

O presidente da Dataprev, Rodrigo Assumpção, afirmou na audiência realizada nesta terça-feira,17/4, no Ministério Público do Trabalho (MPT), que não vai suspender os efeitos das 42 demissões imotivadas que pegaram de surpresa os trabalhadores da empresa, em todo o Brasil.

A Fenadados e os sindicalistas presentes decidiram criar uma comissão de trabalhadores da empresa e foram até à Secretaria-Adjunta do Ministério da Previdência, para protocolar um documento no qual fazem críticas ao processo e contra a decisão da direção da Dataprev.

Durante a audiência os sindicalistas manifestaram revolta contra a postura adotada pela diretoria da empresa.  "A forma como a Dataprev vem conduzindo todo esse processo é um total desrespeito ao trabalhador", afirma o diretor de Relações Sindicais do SINDPD-DF, Eudes Rodrigues da Silva, que juntamente com o diretor Paulo Roberto Ramos, acompanhou a audiência.

A Fenadados demonstrou que ao longo dos últimos cinco anos a Dataprev vem promovendo uma série de demissões imotivadas e, que agora, parece que o processo vai se acentuar. A empresa negou que esteja promovendo demissões em massa e ferindo o Acordo Coletivo do Trabalho (ACT).  A Fenadados insiste que as demissões são em massa e, muitas vezes, motivadas por perseguições políticas e pessoais. A empresa afirma que as demissões foram motivadas pela reestruturação e os planos de ação desenvolvidos desde 2009.

A procuradora do Trabalho, Dinamar Cely Hoffmann, solicitou mais documentos à empresa e vai aguardar a manifestação da Fenadados.  Em conversa informal com os sindicalistas, a procuradora afirmou que o caso é muito difícil. Hofmann solicitou que a federação faça sua manifestação com informações que demonstrem o desrespeito da empresa ao Acordo Coletivo de Trabalho. Também orientou aos sindicatos que promovam ações judiciais em defesa dos trabalhadores.  

Segundo o presidente da Fenadados, Carlos Albereto Valadares - Gandola, todos os sindicatos foram orientados a não homologarem novas demissões que estejam ocorrendo na Dataprev, assim como já vinha sendo feito no caso dos 42 que já foram demitidos. "Até que se resolva o impasse a direção da Dataprev terá de homologar qualquer demissão diretamente nas Delegacias Regionais do Trabalho", informou Gandola.


IVA encerra a disputa entre Governo, Estado e município

Além disso também permite retirar a alta carga tributária imposta aos setores de Telecom e Energia, os carros-chefes da arrecadação, pontua o advogado Luiz Roberto Peroba.

eSocial: é ilusão achar que não precisa correr para adaptar os sistemas

Novo prazo pode ter ficado mais longo - janeiro de 2018, mas as mudanças são complexas e exigem que as corporações não relaxem.

Justiça do Rio manda Microsoft indenizar consumidores por falha no Windows 7

A 4ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro afastou a possibilidade de dano coletivo por problemas na atualização do sistema operacional, em 2013, mas determinou a reparação individual de quem comprovar prejuízos. 

CNS vai ao STF contra decisão de São Paulo de cobrar ICMS de software

Confederação Nacional de Serviços diz que decisão do Estado significa uma bitributação, uma vez que as empresas pagam o ISS. "Software não pode ser considerado uma mercadoria", sustenta a ação.

Para bancar Telebras, governo maquia gastos com Serviço de Comunicação Multimídia

Sob o argumento de elevação dos gastos com o incremento da banda larga no país, governo mascara os constantes aumentos de capital da Telebras que garantem a sobrevivência financeira da estatal, ainda inoperante do ponto de vista comercial.



  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G