INTERNET

Ação da Google no STF será parâmetro para casos de responsabilidade do provedor

Da Redação* ... 10/04/2012 ... Convergência Digital

Uma ação movida pela Google junto ao Supremo Tribunal Federal servirá de parâmetro para todos os processos relacionados à responsabilidade dos provedores de conteúdo sobre o que foi publicado por terceiros. Por decisão do Supremo, o caso terá repercussão geral.

Trata-se de uma ação (ARE 660861) movida pela Google contra decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais que obrigou a empresa a indenizar em R$ 10 mil uma vítima de ofensas na rede de relacionamentos Orkut – além de retirar do ar a comunidade onde as ofensas ocorreram.

“O tema em análise trata do dever de empresa que hospeda sites na Internet fiscalizar o conteúdo publicado e de retirá-lo do ar quando considerado ofensivo, sem intervenção do Judiciário”, explica o STF. Para o relator, ministro Luiz Fux, “a matéria pode atingir inúmeros casos submetidos à apreciação do Poder Judiciário”.

“Não há como exigir da Google a tarefa de emitir juízo de valor sobre o conteúdo lançado no site, de modo a impedir a veiculação de determinado conteúdo”, alegam os advogados da empresa no processo. Para a Google, a decisão do TJMG equivale a censura prévia, vedada pela Constituição.

O ministro relator entende que a análise do tema permitirá definir, na ausência de regulamentação legal da matéria, se a incidência direta dos princípios constitucionais gera, para a empresa hospedeira de sítios na internet, o dever de fiscalizar o conteúdo publicado nos seus domínios eletrônicos e de retirar do ar as informações denunciadas como ofensivas, sem necessidade de intervenção do Judiciário.

* Com informações do STF


Ministério da Justiça diz que alegação do WhatsApp sobre criptografia é falaciosa

Para o governo, app teria condições de fazer o ‘grampo’ exigido. “Não há dúvidas da completa possibilidade técnica”, sustenta o MJ. 

Facebook vira alvo de ação coletiva por ajudar espionagem americana

Processo é movido pelo austríaco Max Schrems, o mesmo que já bateu a rede social e derrubou o acordo entre EUA e UE para transferência de dados. 

Fibra óptica cresce, mas ainda responde por apenas 5,77% da banda larga

O Brasil fechou o mês de julho com 26,3 milhões de acessos fixos a Internet, segundo balanço da Anatel. Maior parte dos acessos é feito via conexão XDSL.

Regulamentação não é inimiga da Internet livre e aberta

"Não existe uma solução panaceia que vai atender a todos na Internet. Isso é impossível", ressalta o assessor da SEPIN, Otávio Caixeta.

Europa reforça neutralidade e restringe zero rating, mas vai avaliar caso a caso

Orientações do regulador europeu vedam ofertas de acesso parcial à internet e gestão de tráfego associada a acertos comerciais, bem como bloqueios a VoIP ou streaming de vídeos.

Revista Abranet 17 . Julho/Agosto 2016
Veja a Revista Abranet nº 17 A Internet que temos no Brasil é a que podemos ter. Planejamento é a melhor estratégia para sobreviver à crise. ISPs: ataques de negação de serviço entre os mais comuns, mas não os únicos.
E mais...
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G