TELECOM

WiMAX agoniza com 4G batendo à porta

Ana Paula Lobo* ... 10/04/2012 ... Convergência Digital

Apesar de em 2011 ter registrado um crescimento de 14% na base de assinantes - chegando a 25 milhões, as operadoras relegaram o WiMAX a um segundo plano nos seus negócios e estão restringindo a adição de novos consumidores, selando assim o destino da tecnologia, destaca a analista Cintia Garza, da Maravedis. Muitas teles jogam a toalha, abandonam seus projetos e preveem migração para o LTE. E nesse jogo, a América Latina é a grande força para o 4G em 2012, sustenta ainda a consultoria.

Isso porque, explica Cintia Garza, Colômbia, Chile, México e Brasil mantém o propósito de fazer a venda de espectro e, caso esses editais se concretizem, novas redes serão construídas na região. A previsão da Maravadis é que o LTE somou 12 milhões de assinantes em 2011 e passará a 469 milhões, em 2016, o que significará um impulso significativo de 4500% na base de usuários.

Segundo ainda a consultoria, hoje, 224 operadoras móveis estão comprometidas com redes LTE mundialmente, sendo que destas 193 estão com FDD-LTE e 31 operadoras com TD-LTE. Neste ritmo, inclusive, 75% dos 469 milhões de assinantes previstos para 2016 serão usuários do FDD-LTE ( 350 milhões). Na América Latina, cinco redes comerciais de LTE foram anunciadas - UNE (Colômbia), Antel (Uruguai), Sky (Brasil), One Mobile (Porto Rico) e Claro (Porto Rico e outros países da região).

Enquanto o LTE cresce e aparece, o WiMAX agoniza. Fabricantes como Nokia Siemens e Motorola jogaram a toalha e abandonaram os negócios na área. Segundo a Maravids, o ano de 2011 foi trágico - quase uma sentença de morte - para a tecnologia. O ritmo de crescimento de usuários - de 25% a 30% mantido nos últimos anos, caiu drasticamente, ficando em apenas 14%.

Para Cintia Garza, analista da consultoria, o WiMAX, hoje, é tão somente uma opção para o provimento de serviços fixos por parte das teles, como forma de ampliar a capacidade dos backbones para sustentar a oferta de banda larga, deixando de ser um 'rival' para o LTE no mundo da quarta geração da telefonia móvel celular.

*Com informações da Maravadis


Matérias relacionadas

Roubo de cabos e rádios de telecom custa R$ 320 milhões ao ano às operadoras

SindiTelebrasil adverte que no ano passado foram registradas 5,6 mil ocorrências de roubo, furto e receptação de elementos de redes de telecomunicações. Só de cabos foram mais de quatro milhões de metros furtados.

Oi faz projeto piloto e libera WiFi para clientes de outras operadoras

Do total de dois milhões de hotspots da operadora, 470 mil ficam no Rio de Janeiro. Liberação do uso para não clientes faz parte da estratégia de marketing móvel.

João Rezende deixa Anatel sobre pressão do caso Oi, franquia da banda larga e renovação dos contratos das teles

Na agência desde 2009 e na presidência desde 2011, o ex-presidente da agência enfrentou um crítico 2016.

Receita trimestral das teles com dados cresce 128% e chega a R$ 7 bilhões

Análise da Anatel mostra que desempenho entre 2013 e 2015 elevou a participação dos dados para quase 50% da receita operacional, de R$ 14,2 bilhões no terceiro trimestre de 2015. 

Revista do 59º Painel Telebrasil 2015
Veja a revista do 59º Painel Telebrasil 2015 As principais empresas prestadoras de serviços e da indústria de telecomunicações e autoridades governamentais e do Legislativo se dedicaram a discutir o tema escolhido para este ano: A evolução dos modelos de negócio das telecomunicações: Desafios políticos e regulatórios.
Clique aqui para ver outras edições


  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G