NEGÓCIOS

Guerra do ICMS: Estados não cedem e governo adia votação

Convergência Digital ... 04/04/2012 ... Convergência Digital

O projeto que unifica o ICMS interestadual foi retirado da pauta da Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Ele seria votado nesta quinta-feira, 04/04, mas não houve acordo na reunião realizada entre governo e Estados. A Fazenda propõe uma alíquota de 4% nacional para encerrar a guerra fiscal, mas os Estados resistem, como é o caso do Rio de Janeiro, que se mostrou 100% favorável ao embate, conforme matéria publicada no Convergência Digital (http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=29891&sid=5).

A decisão de retirar o projeto da pauta da Comissão do Senado foi tomada pela ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e pelo presidente da CCJ, senador Eduardo Braga (PMDB-AM). Eles disseram que não foi possível chegar a um consenso em torno do assunto, depois de mais de duas horas de reunião, realizada na noite desta terça-feira, 03/04.

Atualmente, nas transações interestaduais o ICMS recolhido é dividido entre o estado de origem da mercadoria e o de destino. A regra também atinge os produtos importados. Nesse caso, o estado de origem é aquele por onde o bem entrou.Em função disso, alguns estados passaram a diminuir a alíquota do ICMS para produtos importados com o objetivo de atrair empresas que se beneficiam dessa medida. Os estados de Goiás, do Espírito Santo e de Santa Catarina estão entre os que reduziram a alíquota para produtos importados. A unificação do ICMS interestadual eliminaria esse dispositivo, mas provocaria perdas para os estados de origem.
 

 


Soluções de Segurança para a Sociedade
Olhou. Gostou. Pagou!

Tecnologia de reconhecimento facial como meio de pagamento está sendo testada no Japão.

TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Abinee: Indústria já reclama de recuo do dólar frente ao Real

Segundo a entidade, queda de 22% das exportações de eletroeletrônicos em julho – e de 13,4% no primeiro semestre – “decorre da falta de confiança das empresas em vender seus produtos no mercado externo, face à instabilidade do real frente ao dólar”. Patamar médio do dólar passou de R$ 3,70 para R$ 3,20.

Indústria de eletroeletrônicos dá sinais de reação

Junho apresentou o quarto mês consecutivo de aumento da produção, mas Abinee ainda calcula redução de 7% em 2016. 

Mais da metade das empresas de eletroeletrônicos vende menos que esperado

Nova sondagem de conjuntura da Abinee aponta alguma melhoria nas expectativas dos empresários, com fabricantes de bens de informática e celulares apostando em vendas melhores no segundo semestre.

Despesas mundiais com TI não crescem em 2016

Segundo levantamento do Gartner, depois de recuo de 0,5% no último trimestre, tendência é de que investimentos no setor permaneçam estáveis este ano, em relação a 2015, mantendo-se em cerca de R$ 11 trilhões. 



  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G