Convergência Digital - Home

LibreOffice: O Google Docs do open source

Convergência Digital
Da redação - 30/03/2012

Lançada pela The Document Foundation (TDF) em fevereiro, a versão 3.5 do LibreOffice, para Windows, Linux e Mac OS X, traz novidades aos usuários de editores de texto, planilhas eletrônicas, ferramentas de apresentação e bancos de dados.

A principal delas é a possibilidade de execução via web. Ainda que numa fase inicial e exigindo uma série de etapas complexas de compilação, o LibreOffice Online poderá ser utilizado como uma aplicação em nuvem, tal como o Google Docs, mas com a vantagem de ser livre e customizável.

Quem destaca essa inovação é Gustavo Pacheco, analista de sistemas e membro da The Document Foundation, a organização internacional que suporta o desenvolvimento do LibreOffice. Ele também pontua outros avanços, como: no editor de textos, a nova exibição de cabeçalhos e rodapés e o contador de palavras flutuante (com atualização em tempo real); no editor de planilhas, a possibilidade de inclusão de mil planilhas em um único arquivo e o número ilimitado de regras de formatação condicional; e, no editor de fórmulas, novos símbolos relativos à teoria dos jogos.

O LibreOffice oferece ainda ao usuário um serviço completo de exportação para PDFs, a grande oferta de extensões, além do dicionário e do corretor ortográfico próprios. A solução, diz Pacheco, só conseguiu chegar ao seu atual nível de desenvolvimento porque está baseado no modelo open source.

"Hoje, o LibreOffice constitui-se como a principal solução de edição de documentos no formato OpenDocument. Não apenas se consideramos o uso tradicional da aplicação, instalada sobre um sistema operacional local, mas, também, se avaliarmos o enorme potencial da API do LibreOffice, que permite adicionar, a qualquer desenvolvimento, o poder das funções das aplicações e a flexibilidade de um padrão aberto de armazenamento de dados", completa Pacheco. No Brasil, o Serpro é um dos usuários da ferramenta, em função da politica de adoção do software livre do governo.

Fonte: Agência de notícias do Serpro

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

Destaques
Destaques

Cloud massifica, mas sem estratégia definida pelas empresas

Empresas têm obstáculos a superar para tirar o real valor do uso da nuvem nos negócios. Nuvem híbrida é a opção preferencial.

Empresas brasileiras de nuvem protestam contra concorrência desleal

Para a Associação Brasileira das Empresas de Infraestrutura de Hospedagem na Internet, empresas estrangeiras não pagam impostos, nem atendem o Código de Defesa do Consumidor ou a CLT. Mercado local é projetado em US$ 1.2 bilhão/ano.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

De Byte a Yottabyte em muito pouco tempo...

Por Wilson Grava*

O Big data impulsiona os negócios, mas tem riscos. Eles passam pelo uso inadequado, pelas violações e perda de dados até a preocupação do usuário final com a privacidade e segurança desses dados.

Mitos e verdades sobre ERPs em nuvem

Por Grasiela Tesser*

Ainda que Cloud Computing esteja se popularizando e sendo cada vez mais natural nas operações das empresas, muitas companhias ainda relutam em utilizar sistemas de gestão – os ERPs - na nuvem. É o medo da inovação.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site