INTERNET

Teles cobram acordo que extinguiu metas de banda larga

Luís Osvaldo Grossmann ... 29/03/2012 ... Convergência Digital

Longe da avalanche de opiniões, estudos e sugestões com as quais as teles se defenderam da proposta inicial da Anatel – ainda em 2010 – de estabelecer metas relacionadas à banda larga, a consulta pública sobre o regulamento do Plano Geral de Metas de Universalização teve contribuições modestas da parte das empresas.

Em essência, as teles – com única exceção da TIM – querem que a agência simplesmente retire do regulamento os artigos relacionados ao backhaul – o pedaço das redes que conecta uma determinada área, normalmente uma cidade, à infraestrutura principal de transporte de dados.

O argumento é simples e repetido em diferentes contribuições das operadoras. “Não pode, a Anatel, por meio de um regulamento, imputar de forma unilateral novas obrigações às concessionárias (...) sem que o Decreto 7512/2011 tenha estabelecido qualquer nova obrigação relativamente ao backhaul.”

Justiça seja feita, com a devida tradução dos argumentos, o que as empresas querem é que a Anatel se lembre do acordo costurado ao longo de todo o primeiro semestre do ano passado, que levou a dois adiamentos na publicação do Decreto do PGMU.

Exatamente o acordo pelo qual o governo, representado pelo Ministério das Comunicações, mas ladeado pela Anatel, aceitou desistir das novas metas do backhaul em troca da oferta “voluntária” das operadoras de planos de acesso de 1 Mbps por R$ 35, apelidados de Banda Larga Popular.

Nesse sentido, a única surpresa (ou não) da consulta sobre o regulamento do PGMU é a tentativa feita pela Telefônica/Vivo de, além das metas, eliminar a referência ao backhaul como integrante das listas de bens reversíveis em poder das operadoras.


Ministério da Justiça diz que alegação do WhatsApp sobre criptografia é falaciosa

Para o governo, app teria condições de fazer o ‘grampo’ exigido. “Não há dúvidas da completa possibilidade técnica”, sustenta o MJ. 

Facebook vira alvo de ação coletiva por ajudar espionagem americana

Processo é movido pelo austríaco Max Schrems, o mesmo que já bateu a rede social e derrubou o acordo entre EUA e UE para transferência de dados. 

Fibra óptica cresce, mas ainda responde por apenas 5,77% da banda larga

O Brasil fechou o mês de julho com 26,3 milhões de acessos fixos a Internet, segundo balanço da Anatel. Maior parte dos acessos é feito via conexão XDSL.

Regulamentação não é inimiga da Internet livre e aberta

"Não existe uma solução panaceia que vai atender a todos na Internet. Isso é impossível", ressalta o assessor da SEPIN, Otávio Caixeta.

Europa reforça neutralidade e restringe zero rating, mas vai avaliar caso a caso

Orientações do regulador europeu vedam ofertas de acesso parcial à internet e gestão de tráfego associada a acertos comerciais, bem como bloqueios a VoIP ou streaming de vídeos.

Revista Abranet 17 . Julho/Agosto 2016
Veja a Revista Abranet nº 17 A Internet que temos no Brasil é a que podemos ter. Planejamento é a melhor estratégia para sobreviver à crise. ISPs: ataques de negação de serviço entre os mais comuns, mas não os únicos.
E mais...
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G