INTERNET

Google sofre pressão mundial com relação à politica de privacidade

Da redação ... 16/03/2012 ... Convergência Digital
Autoridades regulatórias dos Estados Unidos e da União Europeia estão investigando o Google sob a suspeita de que a companhia tenha ignorado configurações de privacidade de milhões de usuários do Safari, navegador da Apple. A informação foi publicada pelo jornal "The Wall Street Journal", nesta sexta-feira, 16/03. A empresa suspendeu a prática em fevereiro, depois de ter sido contatada pela publicação.

Com o envolvimento de agências federais americanas e órgãos similares na Europa, liderados pela França, o caso pode levar o Google a enfrentar uma extensa série de batalhas jurídicas, além de impor multas pesadas pela violação de privacidade. No mês passado, o mesmo jornal revelou que o Google estava usando um código especial para instalar arquivos de rastreamento nos dispositivos de alguns usuários de iPhones e iPads.

Nos Estados Unidos, a Comissão de Comércio Federal está analisando se essas ações infringem uma resolução judicial estabelecida em 2011, na qual o Google se comprometeu a não deturpar suas práticas de privacidade para os consumidores, segundo pessoas familiarizadas com as investigações.

A multa pela violação ao acordo é de US$ 16 mil por cada incidente. Em outra frente, um grupo de procuradores gerais também está investigando o caso. Nessa esfera, as multas podem chegar a até US$ 5 mil por infração.

Na Europa, uma comissão francesa incorporou à investigação ao caso em que apura a recente mudança da política de privacidade do Google. O órgão é o mesmo que no ano passado definiu uma sanção de 100 mil euros (US$ 130,5 mil) à companhia por recolher informações pessoais para o serviço de mapas Google Street View. Na época, a empresa se desculpou e disse que iria apagar os dados coletados.

*Fonte: Valor Online

Google muda práticas na Itália para atender autoridade de dados

Empresa concordou com as exigências do Garante, o regulador italiano sobre privacidade de dados, e entre as medidas só poderá usar as informações com consentimento prévio. 

Demi Getschko segue no comando operacional, mas governo faz ajustes no NIC.br

Maximiliano Martinhão - secretário de Política de Informática (Sepin) será o presidente do Conselho de Administração, onde também entra Luiz Fernando Castro.

Entidades dizem que mudanças no CGI.br são 'ataque à governança'

Dezessete organizações da sociedade civil reagirm, por meio de um manifestam, ao que acreditam ser uma movimento para aumentar a força das operadoras de telecomunicações no Comitê Gestor da Internet.

Governo sugere backdoor no WhatsApp para quebra da criptografia

Congresso já tem pelo menos sete projetos de lei que buscam de alguma forma impedir a suspensão total do serviço no Brasil, mas o Ministério da Justiça promete uma nova proposta, “que permita tecnologicamente que a empresa forneça as informações”. 

Para Justiça, criptografia do WhatsApp é desacato a autoridade

Revista Abranet 17 . Julho/Agosto 2016
Veja a Revista Abranet nº 17 A Internet que temos no Brasil é a que podemos ter. Planejamento é a melhor estratégia para sobreviver à crise. ISPs: ataques de negação de serviço entre os mais comuns, mas não os únicos.
E mais...
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G