TELECOM

Eutelsat fica com posição orbital da Hughes e vai oferecer banda larga

Luís Osvaldo Grossmann ... 06/03/2012 ... Convergência Digital
A francesa Eutelsat, maior operadora europeia de satélites, levou a melhor na disputa pela última posição orbital oferecida pela Anatel – em leilão que precisou ser retomado após a saída da HNS Americas (da americana Hughes) de uma das “vagas” arrematadas em agosto do ano passado.

Com as ofertas da Anatel de posições para exploração da banda Ka, o objetivo da Eutelsat é semelhante aos demais concorrentes: “Queremos oferecer banda larga para uma comunidade o mais alargada possível”, resume o diretor-gerente Joaquim Pedro Lima.

Após uma disputa com a líder mundial Intelsat, que estacionou no lance de R$ 13,3 milhões, a vencedora arrematou a posição por R$ 14, milhões – acima da proposta inicial da Eutelsat, de R$ 6,4 milhões, mas bem abaixo dos R$ 35 milhões que a Hughes “ameaçou” pagar em agosto do ano passado.

A Eutelsat estuda lançar um novo satélite para ocupar a posição 65o Oeste, a primeira “brasileira”, apesar de já atuar no país com outros satélites, especialmente em radiodifusão e transmissão de dados para clientes corporativos, inclusive órgãos públicos.

“Já temos experiência. Na Europa, operamos alta capacidade de transmissão de dados na banda Ka, com ofertas de 10 Mbps, mas que podem chegar a 40 Mbps”, explicou o diretor da subsidiária brasileira, Eloi Stivalletti, sinalizando os planos para a operação local.

Hughes

O leilão de quatro posições orbitais foi realizado pela Anatel em agosto do ano passado, quando a HNS Americas (da Hughes) e a StarOne (Embratel) dividiram a vitória. Os mexicanos, porém, reclamaram que a posição escolhida pelos americanos (68,5o O) interferiria em uma das suas (70o O).

A HNS/Hughes, no entanto, preferiu não indicar uma posição alternativa e retirou a proposta de R$ 35,2 milhões que a fizera vencedora desse lote. A decisão da Anatel foi, assim, retomar a oferta do lote com as outras quatro empresas que dele participaram – ainda que, pelos valores originalmente oferecidos, SES e Hispamar (Oi) não pudessem fazer novos lances.

Roubo de cabos e rádios de telecom custa R$ 320 milhões ao ano às operadoras

SindiTelebrasil adverte que no ano passado foram registradas 5,6 mil ocorrências de roubo, furto e receptação de elementos de redes de telecomunicações. Só de cabos foram mais de quatro milhões de metros furtados.

Oi faz projeto piloto e libera WiFi para clientes de outras operadoras

Do total de dois milhões de hotspots da operadora, 470 mil ficam no Rio de Janeiro. Liberação do uso para não clientes faz parte da estratégia de marketing móvel.

João Rezende deixa Anatel sobre pressão do caso Oi, franquia da banda larga e renovação dos contratos das teles

Na agência desde 2009 e na presidência desde 2011, o ex-presidente da agência enfrentou um crítico 2016.

Receita trimestral das teles com dados cresce 128% e chega a R$ 7 bilhões

Análise da Anatel mostra que desempenho entre 2013 e 2015 elevou a participação dos dados para quase 50% da receita operacional, de R$ 14,2 bilhões no terceiro trimestre de 2015. 

Revista do 59º Painel Telebrasil 2015
Veja a revista do 59º Painel Telebrasil 2015 As principais empresas prestadoras de serviços e da indústria de telecomunicações e autoridades governamentais e do Legislativo se dedicaram a discutir o tema escolhido para este ano: A evolução dos modelos de negócio das telecomunicações: Desafios políticos e regulatórios.
Clique aqui para ver outras edições


  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G