TELECOM

TIM investirá R$ 3 bilhões em 2012

Ana Paula Lobo ... 16/02/2012 ... Convergência Digital
A TIM investirá R$ 3 bilhões em 2012 e, de acordo com o presidente da operadora, Luca Luciani, o nome do jogo da telefonia móvel segue sendo a transmissão. A maior parte dos recursos previstos para o Brasil, dentro dessa estratégia, será alocada na ampliação da infraestrutura de rede - capacidade 2G, fibra óptica e 3G.

Em teleconferência de resultados do quarto trimestre de 2011, realizada nesta quinta-feira, 16/02, Luca Luciani sustentou que apesar do forte ritmo registrado na telefonia celular no ano passado, o país seguirá tendo um crescimento relevante em 2012, impulsionado, segundo ele, pela substituição da voz fixa pela móvel.

Luciani lembrou que a TIM, ao longo do ano passado, quando investiu R$ 2,9 bilhões, dobrou a capacidade da rede 2G para melhorar a qualidade do serviço de voz e também retomou os investimentos em 3G, chegando a mais de 500 municípios. Para este ano, também dentro da diretriz de apostar nas classes C, D e E, as regiões Norte e Nordeste vão concentrar os investimentos em rede e serviços, até em função dos problemas de qualidade e capacidade registrados ao longo do ano passado.

Estratégicamente, a Internet móvel desponta como o grande alvo a ser conquistado este ano. Segundo o presidente da TIM Brasil, a banda larga via rede móvel será o segundo maior mercado do país em 2016 e vai ultrapassar o mercado de Internet fixa e de voz fixa.

Luciani também destacou que, apesar de a operadora ter mirado os assinantes das classes C, D e E, com o Infinity Web, o que dá acesso para usuários pré-pago a R$ 0,50 - que terminou o ano com 17,5 milhões de usuários únicos mensais, quase o dobro do contabilizado no início do ano - 9,6 milhões - também houve um crescimento de 30% na base de assinantes pós-pagos. O ARPU - receita média mensal por usuário - ficou em R$ 21,09, mantendo a média dos últimos quatro trimestres.

Outro dado comemorado pela TIM foi o baixo subsídio para os terminais celulares - que em 2010, representaram R$ 290 milhões, e em 2011, ficou praticamente em zero. Ainda assim, a base de clientes com smartphones está em 27% - em janeiro de 2011 era de apenas 10%.

E, ao falar do mercado nacional, Luciani destacou que os resultados da TIM a distanciam cada vez mais da terceira colocada - Claro, da América Móvil, com quem travou uma árdua batalha pela segunda colocação nos últimos tempos - e a aproximam da Vivo, que lidera o ranking.

Resultados

A TIM obteve lucro líquido de RS 405 milhões no quarto trimestre de 2011, com queda acima de 78% em relação a igual período de 2010, quando registrou R$ 1,8 bilhão, impactado pelo efeito de crédito fiscal e pelo ganho com variação cambial sobre a dívida.

No ano, o lucro chegou a R$ 1,2 bilhão, aumento de 65,4% em comparação com R$ 777 milhões (orgânicos) em 2010. A receita líquida total alcançou R$ 4,6 bilhões no trimestre, um aumento de 19,4%. A receita líquida com serviços apresentou um crescimento anual de 16,8% chegando a R$4,2 bilhões. No ano, a receita líquida passou de R$ 17 bilhões, 18% que os R$ 14,4 bilhões de 2010.

O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$1,3 bilhão em 4T11, representando uma expansão de R$104 milhões sobre 4T10 (ou +8,7%). A margem Ebitda no quarto trimestre ficou em 27,8% em 4T11, uma diminuição em comparação com os 30,6% em 4T10. A redução anual é em grande parte explicada pelo aumento na venda de aparelhos que diluiu a margem Ebitda.

A base total de assinantes da companhia encerrou o quarto trimestre com 64,1 milhões de linhas, 25,6% a mais quando comparada a 4T10, representando um market share de 26,5%. As adições líquidas totais em 4T11 chegaram a 4,9 milhões de linhas, assumindo a liderança no trimestre com 32,7% do market share adicional e 43% se comparado a dezembro somente.


Justiça abre prazo para objeções a plano de recuperação da Oi

Divulgada no início de setembro, proposta da operadora prevê até 70% de desconto a depender do credor ou carência de 10 anos. Também está cogitada a venda de ativos, inclusive a operação de telefonia celular. Prazo de 30 dias conta a partir da lista dos credores, divulgada em 21/9 pela Oi.

CADE pede condenação de empresas do mercado de recarga de telefones celulares

A prática anticompetitiva do mercado de distribuição de recarga eletrônica no pré-pago teria acontecido entre 2007 e 2009, quando o mercado movimentou cerca de R$ 3,5 bilhões.

Brasília revoga lei que restringia instalação de antenas de celular

Projeto assinado por 20 dos 24 deputados distritais foi aprovado em menos de um mês e revoga a Lei 3446/2004, que impedia a instalação de ERBs em escolas e a menos de 50 metros de qualquer habitação. 

Claro amplia vantagem sobre TIM em mercado que continua em queda

São 252,5 milhões de chips de celular ativos no país, um recuo de 31,5 milhões desde o pico, em maio de 2015. Queda se concentra no pré-pago, enquanto 4G segue em alta. 

Revista do 59º Painel Telebrasil 2015
Veja a revista do 59º Painel Telebrasil 2015 As principais empresas prestadoras de serviços e da indústria de telecomunicações e autoridades governamentais e do Legislativo se dedicaram a discutir o tema escolhido para este ano: A evolução dos modelos de negócio das telecomunicações: Desafios políticos e regulatórios.
Clique aqui para ver outras edições


  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G