Clicky

Convergência Digital - Home

Enel Brasil une Inteligência artificial, edge computing e drones para inspecionar redes e usinas

Convergência Digital
Convergência Digital* - 19/01/2021

A Enel Brasil iniciou testes com uma tecnologia, feita no Brasil,  para a inspeção de redes de transmissão e distribuição e usinas solares e eólica. Por meio de drones com software de inteligência artificial embarcado e processado no próprio equipamento (Edge Computing), será possível analisar em tempo real as imagens coletadas pela primeira vez no Brasil. A inovação contribui para tornar mais ágil e eficiente a manutenção preventiva de ativos de distribuição e geração, contribuindo para reduzir as interrupções no fornecimento de energia e aumentar o nível de disponibilidade das usinas para o sistema elétrico.

A tecnologia foi desenvolvida pela Horus, uma das empresas participantes do Energy Start, programa de incentivo a startups da Enel no Brasil, e é financiado com recursos do Programa de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A empresa recebeu um aporte total de R$ 2 milhões da Enel para o desenvolvimento do “novo drone” com foco nas operações de geração e distribuição do grupo no Brasil.

O drone está sendo utilizado, em fase de testes, para avaliar as redes de média e alta tensão das distribuidoras da Enel Brasil nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás e Ceará. Ao todo, o equipamento será usado para inspecionar 1 mil quilômetros de rede até o final do projeto. Além disso, a tecnologia será usada também para inspeção dos painéis fotovoltaicos e pás dos aerogeradores das usinas da Enel Green Power, braço de geração renovável do grupo Enel.

“Por meio de inteligência artificial, o drone consegue processar automaticamente e em tempo real as imagens captadas, identificando a falha e já priorizando o trabalho para as equipes de manutenção. Além de ser pioneira no país, a tecnologia também está sendo utilizada pela primeira vez pela Enel globalmente na sua área de Infraestrutura & Rede, o que mostra o papel de vanguarda do Brasil no desenvolvimento de inovações aplicáveis em diversos outros países e contextos”, afirma o diretor de Tecnologia de Rede da Enel Brasil, Bruno Cecchetti.

As informações captadas pelo drone e que indicam necessidade de algum tipo de reparo são automaticamente classificadas para execução das atividades de manutenção das operações do Grupo. Dessa forma, as equipes de campo são direcionadas de forma rápida e precisa aos pontos selecionados. A Enel já emprega o uso de drones para inspeções de campo, mas a tecnologia atual não conta com sistema de inteligência artificial embarcado e o processo de análise de imagens ainda é manual, a partir da análise do material por técnicos do grupo. Os drones em teste também conta com uma câmera de inspeção termográfica. Esse recurso, utilizado neste momento apenas nas usinas solares, possibilita a rápida identificação de placas fotovoltaicas com temperaturas fora do padrão, facilitando a sua manutenção.

Para permitir que o sistema de inteligência artificial do drone possa identificar problemas nas redes elétricas e nas usinas de geração, especialistas da Enel e da Horus trabalharam em uma etapa de coleta de imagens dos mais diversos tipos de ativos de energia e as anomalias encontradas. Essas informações foram adicionadas para treinamento do software de inteligência artificial, permitindo que a ferramenta pudesse ser capaz de avaliar as fotos capturadas nas inspeções e descobrisse a falha mais provável.

A aposta da área de Novas Tecnologias da diretoria de Infraestrutura e Redes da Enel Brasil é de que a solução, além de agilizar as ações de manutenção preventiva, resulte em redução dos custos das inspeções e atividades de backoffice, além de diminuir o tempo de execução das inspeções e o risco de acidentes na operação das redes elétricas das distribuidoras e das usinas da EGP.

Parceria

Sediada em Florianópolis, a Horus foi uma das selecionadas pela Enel no Energy Start 2018, concorrendo contra cerca de 2 mil startups brasileiras. Durante o processo de seleção, após interações com as áreas de negócio da companhia no Brasil, foi identificado que a solução da empresa teria potencial para contribuir na resolução de desafios enfrentados pela EGP e pelas distribuidoras do grupo. A ação resultou em um aporte inicial de R$ 500 mil no projeto.

Em julho de 2018, a empresa foi selecionada como uma das startups vencedoras do Energy Start, ganhando contrato de investimento no valor total de R$ 2 milhões, incluindo o valor inicial de R$ 500 mil, e uma imersão no Vale do Silício, realizada em setembro de 2018. Sob o acompanhamento da área de inovação global da Enel, a Horus recebeu mentorias com as principais empresas de tecnologia e startups do ecossistema de inovação de São Francisco, aprendendo sobre a elaboração de pitches e planos de negócio para tornar a solução e a empresa escaláveis.

 



 


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Destaques
Destaques

Justiça do DF diz que dados em nuvem não têm proteção contra quebra de sigilo

Para o relator do caso, "dados armazenados em nuvem não evidenciam uma comunicação de dados" e, por isso, não estariam protegidos pela legislação. 

"Chegamos para brigar com AWS, Google e Azure na nuvem pública", diz José Nilo, da Huawei

Empresa monta o seu segundo data center no Brasil, em local não revelado por segurança, e diz que vai também aumentar presença na oferta de Kubernetes e contêineres, hoje dominada pela Red Hat, da IBM.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

IA, nuvem e IoT exigem data centers mais eficientes

Por Ed Solis*

Adoção crescente de tecnologias como inteligência artificial, internet das coisas e PoE estão na lista para melhorar o desempenho das redes e a eficiência do gerenciamento.

A Covid-19 e o governo digital

Por Marcos Boaglio*

A digitalização impõe adotar uma cultura de inovação na qual se fomente a experimentação, derrubar barreiras a partir de novos veículos de aquisição e implementar uma classificação de dados moderna, assim como desenvolver capacidades para empoderar os trabalhadores para finalmente aproveitarem as novas tecnologias.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site