NEGÓCIOS

Dell: Black Friday vai vender menos PCs e notebooks por conta do dólar alto

Ana Paula Lobo ... 28/08/2018 ... Convergência Digital

Até o momento, as vendas de PCs e notebooks no varejo para usuários domésticos não foram afetadas pela valorização do dólar - que está sendo vendido acima de R$ 4,00 - mas a Dell admite que a Black Friday nacional, programada para o dia 23 de novembro, poderá ser de vendas 'amenas', ou seja, abaixo do esperado, para o segmento.

"Não tem como o preço não aumentar. Todos os componentes são importados. Para nós, como fornecedores, o que nos cabe é ter resiliência para monitorar o mercado e minimizar o impacto para os clientes", acrescenta Gonçalves, em encontro com a imprensa, nesta terça-feira, 28/08, no Dell Technologies Forum São Paulo.

Ainda de acordo com o executivo, até o momento, nenhum cliente chamou a Dell para suspender ou reduzir projeto de TI ou de transformação digital por conta do dólar. "A verdade é que as empresas sabem que não dá mais para postergar investimentos. Um ERP ou um sistema de atendimento ao cliente não pode ser interrompido porque o impacto dessa parada é pior do que o custo mais alto de investir em TI", observa Gonçalves.

O Diretor de Marketing e Alianças da Unitech, Arlindo Silva, parceiro de canal da Dell EMC, diz que se sente como a salchicha no pão do cachorro quente. "Somos pressionados pelos fornecedores e pelos clientes com relação ao preço final dos produtos. O efeito do dólar determina reuniões diárias no ecossistema de PCs e servidores. Todo mundo tem que ajustar para assegurar o negócio. Até agora essa estratégia está funcionando", completa.

No ano passado, a Black Friday determinou um aumento nas vendas no último trimestre, quando foram vendidos 5,19 milhões de computadores no ano passado, com receita de R$ 11,73 bilhões, ou um incremento de 21% em relação a 2016. "Torço para que as projeções estarem erradas e possamos repetir o desempenho do ano passado", resumiu Luis Gonçalves.


Recrutadores e a dura tarefa de contratar cientistas de dados

O maior gargalo é encontrar profissionais adequados às demandas das empresas e o Brasil, hoje, é um exportador de talentos para outros países.

Cenário ainda é nebuloso, mas aumenta a confiança na indústria eletroeletrônica

Após quatro quedas consecutivas, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) do Setor Eletroeletrônico, aumentou 9,3 pontos no mês de junho em relação a maio, mas ainda fica abaixo dos 50 pontos, indicando o receito das empresas com relação ao impacto da Covid-19.

Bradesco: Open Banking tem regulamentação agressiva e será uma agenda de ataque

O conselheiro do banco, Maurício Minas, diz que os grandes bancos vão adotar técnicas de defesa frente à concorrência, sem deixar de partir ao ataque. "Nós temos funding, balanço e credibilidade", salientou. Bradesco promete o uso massivo das nuvens híbridas.

Câmbio pressiona componentes e repasse vai chegar ao consumidor

Em sondagem realizada pela Abinee,  69% das empresas reportaram "pressões acima do normal".  O custo do frete também impacta os preços em tempo de redução de produção por conta da Covid-19.

Banco Bari e Paraná Banco unem transformação digital ao Open Banking

O Pari, nascido 100% digital, e o Paraná Banco, com 40 anos de atividades, identificam no Open Banking a oportunidade de avançar e consolidar linhas de serviços.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G