INTERNET

Metade dos brasileiros assiste filmes e ouve músicas pela internet

Luís Osvaldo Grossmann ... 06/11/2018 ... Convergência Digital

Os brasileiros, especialmente os jovens entre 10 e 24 anos, fazem uso intensivo da internet diariamente, especialmente para ouvir músicas e assistir filmes e vídeos. É o que indica a nova pesquisa TIC Domicílios, que nesta edição avaliou pela primeira vez as atividades culturais consumidas na rede.

No plano geral, a TIC Domicílios indica que 42 milhões de domicílios, ou 61% do total, contam com acesso à internet. Na análise de acesso pelos indivíduos, a projeção é de 121 milhões de brasileiros com 10 anos ou mais, ou 74% do total, acessam a rede mundial.

Segundo a pesquisa, 50% dos brasileiros assistem audiovisuais e ouvem músicas – proporção que é de 12% e 29% daqueles que fazem isso todos os dias, respectivamente. Nos grupos de 10 a 15 anos e de 16 a 24 anos, esse consumo é ainda mais forte. Para músicas, 53% e 55% responderam ser uma atividade diária. Para filmes, 25% e 19%, também respectivamente.

Como já vem mostrando o levantamento nos últimos anos, o uso da rede se dá tanto por PCs, especialmente laptops, como por celulares. E no caso do consumo de músicas e vídeos, essa ponderação é ainda mais válida. Enquanto na população em geral 68%/67% usam celular para músicas e vídeos, entre os jovens o dispositivo móvel é permanente.

No grupo de brasileiros com 10 a 15, 90% usam o celular para ouvir músicas e 89% para assistir vídeos. Naqueles com idades entre 16 e 24 anos, os dispositivos móveis são também fortes acessórios, sendo que 92% usam para músicas, 89% para vídeos.

O que faz diferença mesmo, no entanto, é o tipo de conexão. Segundo a pesquisa, 72% dos usuários de internet que possuem banda larga fixa no domicílio assistem a vídeos online, enquanto entre aqueles com conexão móvel no domicílio essa proporção é de 57%. De forma semelhante, 70% dos que contam com redes fixas ouvem músicas via rede, fatia que cai para 59% entre quem tem somente acesso móvel.

E entre os usuários de celular, existe ainda a questão da forma de conexão, pois aqueles que não utilizam WiFi apresentam patamares de acesso a conteúdos bastante inferiores. “Quem não usa WiFi tem acesso em proporções muito menores a esses conteúdos. Ou seja, o tipo de conexão é determinante na intensidade do uso”, resume o gerente do Cetic.br, Alexandre Barbosa.

Outro traço significativo é o crescimento na produção de conteúdo. Segundo a pesquisa, entre 2013 e 2017 houve uma ampliação de 31,1 milhões para 44,7 milhões entre aqueles indivíduos que publicam conteúdos próprios na internet, o que corresponde a cerca de um quarto da população acima de dez anos (26%). O tipo de conteúdo mais publicado são imagens, postadas por 24% dos indivíduos, textos (13%) e vídeos (11%).


Comissão Européia: Facebook, Google e Twitter fizeram pouco contra Fake News

Redes sociais prometeram em outubro do ano passado adotar medidas contra a divulgação de notícias falsas relativas às eleições do Parlamento Europeu, que acontecem entre 23 e 26 de maio.

Moradora chama prefeito de "mentiroso" pelo Whatsapp e é multada em R$ 5 mil

TJMG aceitou a queixa do prefeito da cidade de Frei Inocêncio e determinou indenização contra moradora que distribuiu áudio no aplicativo chamando-o de “mentiroso”, “trapaceiro” e “cretino”.

Autoridade de Dados, no Executivo, não terá reconhecimento internacional

“Congresso precisa garantir um modelo interoperável com outros países, que sejamos considerados como país adequado na proteção de dados”, adverte a professora de Direito da UnB e do IDP, Laura Schertel Mendes.

Bibliotecas e museus sofrem para digitalizar e oferecer acervos online

Embora o Plano Nacional de Cultura estabeleça que acervos devem estar disponíveis na internet até 2020, só 31% digitalizam parte do acervo e 22% ofertam na rede.

Para o governo, regulamentação da LGPD exige criação imediata da autoridade de dados

Inserir a autoridade na Presidência foi a solução possível."Queremos a autoridade funcionando um ano antes da vigência da lei. Não dá para discutir eternamente”, diz Luiz Felipe Monteiro.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G