GESTÃO

INPI promete reduzir prazo para registro de chips de 70 para 7 dias

Convergência Digital* ... 02/08/2019 ... Convergência Digital

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) lançou seu Plano PI Digital e portfólio de serviços 100% digitais. O plano prevê 24 ações que visam desburocratizar o atendimento ao cidadão, ampliar e facilitar a prestação de serviços pela internet. A começar por aceitar pagamento por cartões de crédito ou débito, em substituição às guias de recolhimento bancário. 

Uma das ações do Plano é o lançamento do e-Chip. Trata-se de um sistema em que o usuário poderá solicitar online o registro de Topografia de Circuito Integrado, como são chamados os “desenhos” das diversas camadas que compõem um chip. Segundo o INPI, esse era o único serviço do instituto que ainda não era disponibilizado pela internet.

Com o e-Chip, o Instituto promete que o tempo de registro cairá de 70 para 7 dias, caso o usuário não peça o pedido de sigilo de seis meses. Em 2017, o instituto já havia lançado um sistema semelhante para softwares, que reduziu o tempo de registro de seis meses para 6 dias corridos.

Além do e-Chip, o INPI implantará, nos próximos meses, um novo portal, com chatbot e uma ferramenta para agendamento de atendimento presencial ou à distância. Também será lançado um aplicativo de comunicados e notícias. 

* Com informações do INPI

eSocial: Alterações relativas à contribuição previdenciária estão no ambiente de testes

O comitê do eSocialdiz que para permitir que empregadores e desenvolvedores façam testes foram estabelecidas datas fictícias relativas às faixas de salário de contribuição.

Aplicativo do governo mostra devedores da União e FGTS

Batizado ‘Dívida Aberta’, app para celulares e tablets permite consulta por nome, CPF ou CNPJ, ou mesmo pelo mapa do Brasil. 

Em mais uma etapa, BNDES ganha competência para vender ações da Dataprev

Portaria 1.675/20,  da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, lembra que o banco de fomento é o gestor do Fundo Nacional de Desestatização

Secretário de Desestatização acusa Serpro e Dataprev de venderem dados pessoais

"Se fosse (empresa) privada não aconteceria", alegou o Secretário de Desestatização do Governo Bolsonaro, Salim Mattar, em entrevista à radio Gaúcha. Fenadados promete processar Mattar por calúnia.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G