TELECOM

Oi triplica prejuízo e admite vender operação móvel

Luís Osvaldo Grossmann ... 02/12/2019 ... Convergência Digital

Com dois meses de atraso, a Oi informou nesta segunda, 2/12, que o terceiro trimestre deste 2019 terminou com prejuízo de R$ 5,74 bilhões, mais de três vezes superior às perdas de R$ 1,33 bilhão há um ano. No trimestre, houve queda nas receitas (-8,8%) e no número de assinantes (-6,2%). 

A receita líquida atingiu R$ 5 bilhões, queda de 1,8% na comparação trimestral. A dívida líquida da companhia encerrou setembro em R$ 14,71 bilhões, alta de 17% na comparação trimestral e de 34,1% no ano. Mas os investimentos, centrados na fibra, de R$ 2 bilhões entre julho e setembro, cresceram 35% sobre o mesmo período de 2018. 

Ao apresentar os resultados, a direção da companhia apontou que o desempenho negativo está ligado aos serviços ‘legados’, baseados em cobre, mas que há sinais favoráveis nos “serviços não regulados” e no desempenho da oferta de conexões por fibra – que encerrou o trimestre com 3,6 milhões de casas passadas e uma taxa de ocupação de 12%. 

Além de reforçar os planos para a venda de ativos no curto prazo, notadamente a participação na Unitel e parte dos 8 mil imóveis, a empresa admitiu que faz as contas para valorar a operação móvel, na qual detém cerca de 16% do mercado brasileiro.  

“Estamos trabalhando com nossos consultores financeiros para entender o valor real do negócio de mobilidade, mas esse valor já foi reconhecido e poder gerar valor para o acionista no futuro. Se houver condição para consolidação haverá interesse”, afirmou o diretor de operações da Oi, Rodrigo Abreu. Ele completou, no entanto, que “não há negociação ou diálogo nesse sentido acontecendo”. 

Ainda de acordo com o executivo, as mudanças no marco legal do setor devem levar de 12 a 18 meses para serem regulamentadas. “Não esperamos grande impacto da nova lei no curto prazo, a não ser para a venda dos imóveis”, completou. Apesar do momento financeiro, Rodrigo Abreu assegurou que a Oi tem interesse em comprar frequências do leilão 5G ainda a ser marcado pela Anatel e que o mercado já especula ter sido adiado para 2021.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Sem definição no Senado, Carlos Baigorri assume como substituto na Anatel

Nome do superintendente de Outorgas e Recursos à Prestação da agência continua à espera de sabatina, desde outubro de 2019, pela Comissão de Infraestrutura.

Oi, Oi Futuro e Ministério da Cidadania integram Tecnologia à história das Telecomunicações

Espaço MUSEHUM-Museu das Comunicações e Humanidades - utiliza novas tecnologias como realidade vritual, 3D, celular e games para reportar a trajetória do mercado brasileiro.

MPF usa analytics para fiscalizar telefonia móvel

Câmara do Consumidor e da Ordem Econômica do Ministério Público Federal usa ferramenta que compila dados da Anatel para orientar promotores em cidades com “índices críticos”. 

Rede de IoT da American Tower atinge 220 cidades

Segundo a empresa, rede IoT/LoRaWAN trafegou mais de 1,7 bilhão de mensagens no ano passado, especialmente, nos segmentos de gestão de frota e ativos.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G