Home - Convergência Digital

Inatel produzirá gateway para conexão residencial e IoT

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 12/12/2019

O Inatel vai viabilizar o primeiro projeto do programa prioritário (PPI) em IoT e Manufatura 4.0, coordenado pela EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial). O projeto permitirá a criação de um gateway para aplicação residencial e será conduzido pela Pixel TI, empresa de soluções sem fio do Vale da Eletrônica, e pela Thales Group, empresa francesa que comercializa soluções de conectividade para o setor industrial.
 
Além de apoiar com o aporte financeiro, como Unidade EMBRAPII, o Instituto também vai participar no desenvolvimento desse gateway, contribuindo com o hardware do equipamento, que será de propriedade intelectual do Inatel. Para Sandro Azevedo, gerente de Negócios do Inatel, a parceria com a Pixel TI e a Thales Group entregará ao mercado um produto indispensável para as residências nos próximos anos e isso só seria possível com o apoio técnico do Inatel e financeiro da EMBRAPII.
 
O gateway servirá para conectar diversos dispositivos voltados para automação residencial fabricados pela Pixel TI como sensores de umidade, temperatura e luminosidade, fechadura eletrônica, controle para abertura de portas e janelas, entre outros. A Thales Group contribuirá com a tecnologia NB – IoT (Narrowband IoT), para conectar o gateway à nuvem e permitir o controle dos dispositivos.         
 
Para Claudio Ribeiro, diretor da Pixel TI, a parceria foi fundamental para criação de um gateway com maior capacidade e confiabilidade. “Juntar esforços para o desenvolvimento deste produto é a única forma para atingirmos o mercado com rapidez e alcançarmos o “Time to Market”. As soluções IoT estão entre as mais esperadas pelo mercado e com este desenvolvimento temos certeza que iremos apresentar um equipamento no estado da arte, colocando nossas empresas no patamar de tecnologia e inovação dos principais “players” mundiais”, declara.

O PPI é um mecanismo adicional para as empresas habilitadas pela Lei de Informática cumprirem com os investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I).  No primeiro ano, foram capitados R$ 8 milhões para serão revertidos integralmente projetos de PD&I pela EMBRAPII. O diretor de Planejamento e Gestão da EMBRAPII, José Luis Gordon, destaca que uso de tecnologias digitais é decisivo para o desenvolvimento econômico do país.
 
“A corrida por novas tecnologias está cada vez mais disputada e o mercado tem demandando por produtos e processos mais modernos. A indústria nacional conta com a EMBRAPII para acompanhar as tendências  e aumentar a sua competitividade. Nossas Unidades têm equipes qualificadas e podem ajudar muito as empresas a superarem os desafios tecnológicos que estão aparecendo com uso de soluções de IOT, big data, Inteligência artificial e manufatura 4.0", completou.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

25/03/2020
Brasil contabiliza 19% dos projetos de IoT em produção na América Latina

18/02/2020
Conexão das coisas será quase a metade dos acessos à Internet no Brasil em 2023

14/02/2020
É urgente fazer software inteligentes para avançar Internet das Coisas no Brasil

10/02/2020
Bosch usa o Tinbot, robô brasileiro, para ampliar negócios em IoT

31/01/2020
Financiamento para IoT no BNDES recebe propostas até o dia 07

22/01/2020
Vivo chega a 10 milhões de dispositivos conectados à IoT

16/01/2020
Rede de IoT da American Tower atinge 220 cidades

07/01/2020
O carro será uma Internet das Coisas

18/12/2019
Fazendas da Atto Sementes contratam 4G e IoT da Vivo

18/12/2019
Qualcomm e BNDES lançam fundo para IoT já aderente à nova Lei de Informática

Destaques
Destaques

Bloqueio de celular pirata não impediu disparada de 344% no mercado cinza

Segundo dados da IDC Brasil, o resultado de 2019 indica que o aperto no bolso dos brasileiros foi maior que o da fiscalização. Entre os modelos mais baratos, no entanto, o mercado “paralelo” caiu. 

5G vai movimentar mais de R$ 5 trilhões até 2025

Segundo estimativas da GSMA, 80% desse valor será concentrado no investimento nas redes de nova geração. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site