Clicky

INTERNET

Em ação global, Idec pede ao CADE que investigue compra da Fitbit pela Google

Convergência Digital ... 16/07/2020 ... Convergência Digital

O Idec apresentou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica um pedido para que investigue a operação de compra da Fitbit, empresa produtora de relógios digitais que coletam dados de saúde, pela Google. A representação faz parte de uma iniciativa internacional que pressiona para que autoridades de concorrência de todo o mundo analisem os impactos da operação Google-Fitbit, estimada em US$ 2 bilhões de dólares.

Para o Idec, trata-se de um caso emblemático sobre como o tratamento de dados pessoais pode ser usado para deteriorar a qualidade de serviços e, por consequência, a concorrência nos mercados digitais e de saúde. O documento destaca que a operação ameaça a concorrência no mercado e que, inegavelmente, os dados sensíveis coletados pela FitBit (e que agora podem pertencer à Google) fortalecerão o poder da Google em mercados da economia digital, como na publicidade online e em mecanismos de busca, mas também poderão alavancar sua posição em outros mercados, como mercados ligados à saúde. 

A natureza competitiva dos dados pessoais e como eles podem ser usados para criar barreiras e excluir concorrentes preocupa, pois abre brechas para grandes monopólios abusarem de seu poder de dominância. Garantir a concorrência é fundamental para que os consumidores tenham mais opções de oferta e, por consequência, mais qualidade nos serviços oferecidos. 

Sem enfrentar concorrência, a Google teria incentivos para  oferecer serviços de qualidade em relação à privacidade? O que acontece se um consumidor do relógio da FitBit não quiser que os dados de seu relógio sejam integrados com a Google? Em resumo, a representação enviada ao Cade ressalta que, em casos como este, é melhor prevenir os possíveis danos provocados aos consumidores e à concorrência, do que tentar remediar quando a Google já for detentora da enorme quantidade de dados pessoais da Fitbit. 

Trata-se de caso emblemático pois, além de envolver os chamados data driven mergers (atos de concentração movidos por dados), a representação provoca uma autoridade concorrencial para que exerça sua competência residual, poucas vezes utilizada na atual lei de defesa da concorrência (Lei 12.529/2011). 

A operação de compra configura um ato de concentração que não seria de notificação obrigatória no Brasil, mas, devido ao grande potencial de impacto à concorrência e aos consumidores brasileiros, o Idec provoca o Cade a utilizar sua competência de também poder analisar outras operações. Seria a primeira vez essa "válvula de escape" seria utilizada em mercados digitais.

“É bastante provável que existam impactos negativos aos consumidores a longo prazo. Sem que haja uma análise prévia da operação, seria difícil reverter os danos, considerando que as bases de dados das empresas já estariam integradas. É por isso que precisamos de uma análise detida pelo Cade e de compromissos vinculantes que evitem abusos”, ressalta Bárbara Simão, pesquisadora  da área de telecomunicações e direitos digitais do Idec. 

Em manifestação pública assinada no início do mês, organizações de diversos países, entre elas o Idec, já alertaram para o risco de violações à privacidade e à proteção de dados decorrentes do fortalecimento da posição dominante da Google, com atenção especial às consequências para os consumidores.


Revista Abranet 32 . set-nov 2020
Veja a Revista Abranet nº 31
O ano de 2020 marca os 25 anos da internet comercial no Brasil e confirma que ela é fundamental para a economia e a vida cotidiana. PIX, Wi-Fi 6, LGPD, white spaces, numeração para SCM... Veja a revista completa.
Clique aqui para ver outras edições

Facebook exclui 140 mil postagens com desinformação sobre eleições

Publicações desestimulavam voto ou continham informações erradas. Rede social também informa que rejeitou 250 mil anúncios que não deixavam claro se tratarem de propaganda política. 

WhatsApp bane mais de mil contas após denúncias recebidas em canal do TSE

Plataforma conjunta com o TSE recebeu 4759 denúncias de 27 de setembro a 15 de novembro.

Indicado de Bolsonaro suspende julgamento no STF sobre presidente bloquear cidadãos em redes sociais

Para o relator, Marco Aurélio Mello, Bolsonaro não pode impedir comentários uma vez que não se restringe a publicar temas de ordem pessoal. Kassio Nunes pediu destaque e adiou indefinidamente o julgamento. 

Tribunal de Contas Europeu admite falhas nas ações antitruste contra gigantes da internet

Relatório indica “capacidade limitada para acompanhar os mercados, detectar proativamente infrações às regras antitruste e verificar a exatidão das informações relativas às concentrações”.

Polícia fecha plataforma de streaming pirata com 775 mil usuários

Operação 404 aconteceu em 10 estados e já bloqueou, além da plataforma, cujo nome não foi revelado, 64 aplicativos de streaming e 252 sites por determinação judicial.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G