Clicky

INOVAÇÃO

Software livre venceu e desapareceu. Agora tudo é serviço.

Ana Paula Lobo e Luís Osvaldo Grossmann ... 05/06/2020 ... Convergência Digital

O software livre venceu. Está na base das grandes plataformas globais, abertos e acessíveis. Mas ao mesmo tempo, desapareceu. É como avalia o cientista, professor e empreendedor Sílvio Meira. Ao conversar sobre software livre no CD Em Pauta desta sexta, 5/6, o fundador do Porto Digital, em Recife, destaca que o jogo se deslocou para os serviços. 

“Todas as plataformas globais de software como serviço já são fundeadas em software livre, em software aberto. Se olhar o software liberado por Google, Microsoft, Facebook, Amazon, que está na internet para ser usado, criou capacidade de fazer quase tudo. Ficou muito fácil fazer plataforma. Mas ao mesmo tempo o software está desaparecendo. Sumiu. Virou ‘no source’, ou melhor, ‘no software’, em oposição a closed ou open software, dizia Marc Benioff. Virou prover o serviço”, afirma.  

E a estrutura, o ecossistema para a oferta do serviço é o diferencial de capacidade. “Vamos imaginar que tivéssemos acesso a todo o código de Google. O que íamos fazer com isso? Nada. Porque montar uma coisa parecida com Google, para competir com o Google, só em hardware custaria US$ 50 bilhões. Datacenters, cabos de comunicação, refrigeração, satélites, o diabo a quatro. Quem vai fazer isso? A utilidade de ter o ‘source’ é infinita se você quer fazer uma coisa diferente. Se quiser fazer igual ao que já tem um gigante fazendo, não vai conseguir. Então de certa forma o software livre venceu, mas ao vencer, desapareceu.” Veja a participação de Silvio Meira falando sobre o software livre. Aqui, a entrevista completa:https://youtu.be/wa40su954ww


Cloud Computing
Stone promove desafio de Data Science para capacitar profissionais

Em sua primeira edição, a competição Data Challenge permite imersão de competidores no dia a dia dos engenheiros e cientistas de dados da empresa. Prêmios vão até R$ 60 mil em educação. Inscrições estão abertas até o dia 15 de março.

No Brasil, 75% confiam mais em robôs que em humanos em questões financeiras

Estudo  indica que os brasileiros confiam mais na inteligência artificial do que neles mesmos para cuidar de dinheiro. 

Lei de Informática: governo faz ajustes que facilitam incentivos à pesquisa

Decreto recupera contabilização de dispêndios até março do ano seguinte e permite regime distinto, trimestral ou anual, por diferentes unidades do mesmo grupo. 

Câmara aprova marco legal das startups

Entre as inovações, empresas iniciantes poderão ser beneficiadas por regras diferenciadas de agências regulatórias como a Anatel. Texto vai ao Senado.

Ericsson processa Samsung por patentes em briga de até R$ 900 milhões

Impacto faz parte da projeção da fabricante sueca no lucro com royaltes que pode deixar de receber no trimestre.  Essa não é a primeira batalha entre as empresas. Em 2012, a Samsung pagou US$ 650 milhões à Ericsson.

Huawei: setor elétrico tem de priorizar cibersegurança para evitar apagões

Flávio Hott, gerente de produto para Energia da fabricante, disse ainda que smart grids em 4G, e depois no 5G, são investimentos efetivos para melhorar o desempenho operacional das redes.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G