INOVAÇÃO

Brasil monta centro para dados, IoT e industria 4.0 com Fórum Econômico Mundial

Convergência Digital ... 08/11/2019 ... Convergência Digital

O Brasil vai montar seu primeiro centro afiliado ao Fórum Econômico Mundial (WEF) para a quarta revolução industrial (C4IR), que deverá entrar em operação no primeiro semestre de 2020. A ação está sendo realizada em parceria com o Fórum Econômico Mundial e com o governo do estado de São Paulo. Inicialmente, o centro no Brasil atuará com políticas de dados, Indústria 4.0, internet das coisas, cidades inteligentes e blockchain.

O novo centro tecnológico terá sua sede instalada no Instituto de Pesquisa Tecnológica (IPT) de São Paulo, integrando  o projeto Centro Internacional de Tecnologia e Inovação (CITI), que sonha em criar um “Vale do Silício brasileiro”. Será utilizado um modelo já adotado pelo WEF, com financiamento das ações pela iniciativa privada. O centro vai reunir uma equipe multidisciplinar formada por funcionários das próprias empresas apoiadoras do projeto, acelerando a troca de experiências e a adoção de novas tecnologias.

A rede global do Fórum conta com centros afiliados em outros seis países – Noruega, Colômbia, Israel, África do Sul, Ruanda e Arábia Saudita – e centros globais nos Estados Unidos, na China, no Japão e na Índia. As  equipes do novo centro brasileiro trocarão conhecimento com as demais unidades e, assim, vão participar do processo global de adoção de novas tecnologias. 

De acordo com o secretário de produtividade Carlos da Costa, o Brasil ainda está longe da maturidade na indústria 4.0. “Somente 7,5% das empresas usam Indústria 4.0 com excelência, e só 2% das empresas brasileiras estão no estágio mais avançado de indústria 4.0, o que dá a dimensão da importância dessa parceria”, afirmou. 

Para inserir as Pequenas e Médias Empresas (PMEs) na quarta revolução industrial, haverá ações específicas. A partir de 2020, um grupo de 130 pequenas e médias empresas manufatureiras será o primeiro a testar esta abordagem proposta de desenvolvimento proposta pelo Fórum Econômico Mundial, pelo Ministério da Economia e pelo Estado de São Paulo. A meta é atingir um total de duas mil empresas até 2021, dentro do Programa Brasil Mais Produtivo da Sepec/ME.

O programa piloto está testando 11 intervenções de políticas específicas, incluindo suporte financeiro inovador, acesso a apoio especializado com colaboração da indústria e conscientização e treinamento dos funcionários em habilidades necessárias na Indústria 4.0. 

* Com informações do Ministério da Economia



BC: Pagamento pelo WhatsApp terá de provar proteção aos dados

"Um arranjo que começa com 120 milhões de clientes não é pequeno", explicou Roberto Campos Neto.

Empresas nacionais reclamam da burocracia e deixam de investir em Inovação

Em pesquisa do Instituto Eldorado, empresas alegam que os instrumentos de fomento são burocráticos ou desconhecidos. Mais da metade das companhias ouvidas assumem que estão investindo menos em novas tecnologias.

Indústria de semicondutores reage à liquidação da Ceitec

Em nota, associação nacional do setor indica “preocupação” com a medida. “Liquidação distanciará ainda mais o Brasil do conhecimento de ponta.”

OBr.Global promove bootcamps Live sobre empreendedorismo

Aceleradora, especializada em internacionalização das empresas, ensinará técnicas adotadas no Vale do Silício, nos EUA.

Política de informática foi feita para o hardware, mas deu certo com o software

Para Sílvio Meira, a estratégia que o Brasil quer desenhar para Inteligência Artificial precisa desafiar à produção nacional para trazer os resultados pretendidos.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G