TELECOM

AGU faz parecer para dizer que Anatel vota como quiser na Oi

Luís Osvaldo Grossmann ... 19/12/2017 ... Convergência Digital

A Advocacia-Geral da União produziu, minutos antes do início da assembleia de credores da Oi, um parecer pelo qual lava as mãos sobre a posição que a Anatel deverá levar à votação do plano de recuperação judicial da operadora, que busca uma saída para a dívida de R$ 65 bilhões. Embora a argumentação seja no sentido de que o agente público não pode se alinhar aos termos dos credores privados, o documento concluiu que a agência deverá votar como achar melhor.

São 18 páginas, assinadas pela ministra Grace Mendonça, de claro conflito de entendimento. Em sua maior parte, a análise é de que os cerca de R$ 14 bilhões da dívida relativos a multas da Anatel não podem se misturar com a dívida com entes privados. Não por menos, a AGU afirma que “continuará a insistir em juízo na tese de que os créditos públicos devem ter tratamento especial e que, por isso, não podem compor os regimes de recuperação judicial”. 

Tal entendimento, no entanto, não impede uma conclusão em sentido contrário. “A decisão a ser tomada em assembleia, sopesando por critérios técnicos e de vantagem econômica o cenário que leve ao menor prejuízo aos interesses patrimoniais que a sujeição a participação ocasione. (...) Cabe, portanto, à Anatel avaliar onde reside o melhor interesse público.” 

O papelório é fruto da reunião realizada na véspera, no Palácio do Planalto, onde o presidente da Anatel, Juarez Quadros, insistiu que não poderia ir à assembleia sem favorável, uma vez que a orientação da própria AGU era para votar contra, por conta dos próprios argumentos que ainda são defendidos novo parecer. Em resumo, que dependia de uma posição por escrito que permitisse o voto ‘sim’. 

Pelo plano da Oi, a dívida em multas será parcelada em 240 meses. Mas para a parcela ainda na esfera administrativa, cerca de R$ 6 bi, prevê ainda desconto de 25% no principal, 25% nas multas de mora e 50% dos juros. A Anatel entende que esse desconto não tem cobertura legal. Mas a AGU, que passou 70 dias discutindo uma estratégia sobre o caso da Oi, agora entende que a Lei 13.494/17, que criou o Programa de Regularização de Débitos não tributários, “fixou tratamento semelhante ao do plano”. 

Diz a AGU que o PRD permite parcelamento em 240 meses, desconto na multa e nos juros e correção pela Selic. A diferença na legislação é que só são aceitos descontos em parcelamentos de até 120 meses. E ainda diante de uma primeira parcela que englobe pelo menos 20% da dívida total. A Oi até aceita pagar 20% de cara, mas restrito aos R$ 8 bilhões que estão na esfera judicial.


Internet Móvel 3G 4G
Indústria de TICs brasileira sinaliza apoio à Huawei

Embora procurem evitar falar oficialmente, a maior parte dos fornecedores diz que vai defender a fabricante  caso o governo Bolsonaro decida seguir a política do governo Trump e decida excluir a empresa chinesa das redes nacionais. "No Brasil, teríamos problemas sérios de infraestrutura. A Huawei está em todas as operadoras", disse um empresário.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Arbitragem resolve conflitos, mas não é para todo tipo de empresa

“A arbitragem é muito boa para resolução de conflitos para questões de grande dimensão econômica, com cifras milionárias, e alta complexidade técnica”, advertiu Gustavo Schmidt, SLK Advogados.

Claro faz piloto com roteadores de baixa latência

Carlos Camardella, consultor da operadora, diz que iniciativa terá duração de seis meses e é voltada para sincronizar os equipamentos de forma a garantir o melhor serviço ao consumidor.

Anatel já bloqueou 103 mil celulares ‘piratas’ só em Brasília e Goiás

A partir de sábado, 8/12, sistema começa a desativar das redes aparelhos sem registro em mais 10 estados do país. São considerados irregulares os aparelhos sem IMEI, o código internacional que identifica cada aparelho, adotado como registro que supostamente garante que um aparelho não é falsificado ou teve o código adulterado.

TV paga: ou muda ou fica pequena no Brasil

Sangria de assinantes continua permanente, muito por conta da massificação dos serviços de streaming, que propõem um novo modelo de relação com o consumidor. Claro/Net, Vivo e Sky registraram queda na base. Oi foi a única que registrou adições positivas.



Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G