Home - Convergência Digital

Um em cada três smartphones no Brasil está 'infectado' por malware

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 08/04/2020

Cerca de um terço dos smartphones com Android no Brasil, algo em torno de 23 milhões de aparelhos, estão infectados com malware responsáveis por fraudes em grande escala. Esses malware estão escondidos em vários aplicativos populares e cometem fraudes que miram anunciantes, operadoras e consumidores, revela estudo da empresa Upstream.

São aplicativos que parecem se comportar normalmente na tela do smartphone, mas disfarçadamente clicam em links e anúncios, inscrevem usuários em serviços e consomem grande volume de dados em planos pré-pagos. Não apenas anunciantes pagam desenvolvedores por cliques falsos, esses apps fraudulentos coletam dados pessoais sem qualquer sinal visível.

Segundo a Upstream, há trabalhos em curso com várias operadoras no Brasil na tentativa de proteger consumidores e negócios desse tipo de fraude. A empresa monitora e bloqueia transações suspeitas e segundo o relatório de 2019, isso resultou em quase 1 bilhão de transações em aparelhos com Android, com sucesso em bloquear 91% delas.

Com base nesses resultados, os apps mais ofensores do ano passado foram:

1 - 4Shared: 166 milhões de transações bloqueadas

Esse aplicativo permite armazemento e compartilhamento de arquivos. Às escondidas, no entanto, também gera anúncios e cria falsos cliques, visualizações e até compras. Chegou a ser removido da Google Play, mas já retornou.

2 - Weather Forecast: 45 milhões de transações bloqueadas

O aplicativo World Weather Accurate Radar faz mais que previsão do tempo. Também abusa e coleta dados de identidade do usuário e clica em centenas de anúncios. Ele também continua disponível na Google Play.

3 – VidMate: 43 milhões de transações bloqueadas

Fraudadores reconhecem que usuários de smartphones assistem e compartilham vídeos e assim escondem atividades maliciosas. VidMate, baixado mais de 500 milhões de vezes, também gera falsos cliques, compras e downloads de outros apps suspeitos sem o conhecimento do usuário. Ele foi removido da Google Play.

4 – Videoder: 36 milhões de transações bloqueadas

Esse aplicativo permite download de vídeos em WiFi grátis para serem assistidos mais tarde. Mas às escondidas realiza atividades maliciosas semelhantes às do VidMate.

5 – Snaptube: 32 milhões de transações bloqueadas

Esse app infectou 4,4 milhões de aparelhos e gerou mais de 70 milhões de transações fraudulentas, com cerca de metade delas originadas no Brasil. Embora tenha sido revelado em outubro de 2019, continua disponível.

Segundo dados da Upstream, cuja plataforma roda em 31 operadoras móveis em 20 países, 93% das transações móveis foram bloqueadas globalmente como fraudulentas em 2019.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

28/05/2020
Hacker brasileiro invadiu 5 mil sites oficiais de mais de 40 países

05/05/2020
Ataque cibernético afeta serviços da elétrica Energisa

28/04/2020
Malware se apresenta como o FBI e cobra 'multa' de US$ 500

08/04/2020
Um em cada três smartphones no Brasil está 'infectado' por malware

01/04/2020
Hackers enviaram mais de 180 mil e-mails falsos sobre atualização da Neflix no Brasil

09/03/2020
Brasil já teve mais de 1000 ataques cibernéticos às redes do governo em 2020

03/03/2020
Brasil teve quase dois bilhões de ameaças cibernéticas de e-mail em 2019

20/02/2020
Justiça cancela domínio de empresa que vendia dados pessoais de mais de 10 milhões de brasileiros

20/02/2020
Brasil é um 'atacante' digital e sete corporações nacionais estão no top 50 dos disparos criminosos

13/02/2020
Malware 100% brasileiro surge usando a epidemia do Coronavírus como isca

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site