TELECOM

Oi: Atraso do novo marco de Telecom jogou ao menos R$ 3 bilhões no 'ralo'

Ana Paula Lobo ... 16/06/2020 ... Convergência Digital

O atraso na regulação do novo marco legal de Telecom - que ainda deve levar pelo menos mais um ano, de acordo com a Anatel - custou à Oi pelo menos R$ 3 bilhões jogados 'no ralo', ou seja, com investimentos em serviços e em infraestruturas não rentáveis como os R$ 100 milhões anuais investidos na manutenção de orelhões ou na manutenção das redes de cobre para o serviço de voz, sustentou o CEO da Oi, Rodrigo Abreu, em entrevista nesta terça-feira, 16/06, aos portais especializados.

A questão é relevante dentro da estratégia do novo aditamento do plano de Recuperação Judicial, apresentado pela Oi. A concessão fica com a ClienteCo e há toda uma preocupação com relação aos chamados bens reversíveis. "Quando fizemos o plano de recuperação judicial já esperávamos ter o novo marco legal. Dois anos e meio depois, seguimos não tendo. E a questão da concessão é séria. O tombo, provocado pela evolução da tecnologia, na telefonia fixa foi de 25% a 30% ao ano", reforçou Abreu.

Sobre a opção de migrar de concessão para autorização, como está no Marco Legal de Telecomunicações, à espera da regulamentação da Anatel, o CEO da Oi foi taxativo: a migração só fará sentido se for atraente. "Precisamos saber quais serão as obrigações relacionadas às autorizações. É uma questão de sustentabilidade dos negócios. Mas é certo que de 2025 essa questão não passa", frisou Abreu.

Sobre a Anatel, principal credora da Oi com uma dívida principal de R$ 12 bilhões, incluída na Recuperação Judicial- e aqui é preciso lembrar que há uma disputa judicial, onde a agência reguladora já perdeu em duas instâncias - o CEO da Oi assegurou que o intuito é negociar com a Anatel e com a AGU.

Mas a Oi irá, sim, utilizar os recursos possíveis como a recente Lei 13.988/20, que prevê a possibilidade de descontos nas multas e juros de dívidas tributárias, além de outra que está à caminho, o PL 6229/05, que também prevê condições facilitadas para empresas que estejam em recuperação judicial.

A volta do Ministério das Comunicações foi avaliada de forma positiva. Segundo Abreu, é importante em um momento tão decisivo para o setor. "Há muito por se decidir nos próximos meses e é muito bom ter alguém mais próximo para nos ouvir. Havia essa interlocução no MCTIC, mas é bom ter um olhar para Telecomunicações", completou o CEO da Oi.






Internet Móvel 3G 4G
"TikTok é vítima inocente da loucura da política e da geopolítica"

A afirmação é de Fred Hu, presidente do Primavera Capital Group, investidor chinês do aplicativo, que soma mais de 800 milhões de usuários no mundo. Segundo ele, a ByteDance, dona do app, vai perder um valor considerável se tiver de vender a operação nos EUA à Microsoft por imposição do presidente Donald Trump. Mercado estima valor global do TikTok em US$ 50 bilhões ou algo em torno de R$ 270 bilhoes.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Qualcomm defende faixa de 6GHz para não licenciados atenta ao 5G

Diretor da Qualcomm, Francisco Soares, espera que a Anatel se defina por dar os 1,2GHz para os serviços licenciados. "O 6GHz não licenciado será o complemento ideal para os serviços licenciados 5G", sustenta.

Anatel define se faixa de 6GHz será 100% não licenciada ou terá 500 MHz para as teles

"A área técnica recomendou o uso para não-licenciado", contou o superintendente da Anatel, Vinicius Caram, ao participar do eForum Wi-Fi 6, realizado pelo Convergência Digital e pela Network Eventos.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G