SEGURANÇA

Esperar a Autoridade de Dados é um erro das empresas no Brasil

Luís Osvaldo Grossmann ... 04/12/2019 ... Convergência Digital

A demora na criação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados prejudica a implementação das obrigações previstas na Lei Geral de Proteção de Dados (13.709/18), mas não pode servir de desculpa para a preparação das empresas. Em menos de duzentos dias úteis, a lei entra em vigor e os titulares dos dados a contar com os direitos nela previstos. 

“É importante a gente entender que apesar de não existir a ANPD, a legislação é bem robusta e traz uma série de obrigações. Já tem uma gama de obrigações que é preciso cumprir. Ou seja, em alguns aspectos depende da ANPD, mas em outros não. É uma legislação genérica, porém muito específica”, alerta a advogada sênior da Serasa Experian, Lia Cunha. 

Tema de destaque durante o 7º seminário Cyber Security – Gestão de Risco no Governo, promovido pela Network Eventos em Brasília, a LGPD demanda trabalho de empresas de todos os portes. “Já teríamos três pilares a respeitar. As hipóteses de tratamento, ou seja, se recebo um dado, tenho que justificar, achar uma das dez hipóteses que justifique aquele tratamento. Segundo ponto, os princípios. Tem dez princípios que já é preciso cumprir, independentemente de regulamentação. E terceiro ponto, os direitos do titular. Desde já é possível olhar para esses pilares e começar um projeto de adequação, que não é curto. Empresa, grande ou pequena, tem que respeitar esses pilares e já está passando da hora de começar o trabalho.”


Administradora de shopping centers revela ataque cibernético

Ao mercado a Aliansce Sonae informou que a invasão aconteceu em maio e a companhia admite que, algumas informações possam ter sido acessadas, mas que elas não eram estratégicas.

PF caça quadrilha que teria vazado dados do presidente Bolsonaro e de mais de 200 mil servidores

Ação policial acontece nos Estados do Rio Grande do  Sul e Ceará. Organização teria invadido sistemas de universidades, prefeituras e câmaras de veradores.

Para Idec, ação comprova que Metrô de SP não garante segurança de reconhecimento facial

Segundo entidade, que move processo contra o Metrô, empresa falhou em não realizar estudo para implantar a tecnologia. 

Bancos querem prisão por até 18 anos para cibercriminosos

Instituições financeiras pedem a aprovação urgente do PL 2638, apresentado na Câmara, pelo deputado Marcelo Ramos, PR/AM, que impõe punição rigorosa às fraudes cibernéticas. "A impunidade é um incentivo", diz Adriano Volpini, do Itaú-Unibanco.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G