NEGÓCIOS

Oi vira integradora nacional de serviços digitais de TI

Ana Paula Lobo ... 04/12/2019 ... Convergência Digital

O mercado corporativo se tornou estratégico no plano de futuro da Oi. A empresa, que hoje fatura cerca de 15% da receita do B2B com serviços de TI, se programa para ter 32% até 2024. O primeiro passo foi remodelar as ofertas e criar a Oi Soluções, que une um portfólio de segurança, internet das coisas, big data, analytics, cloud computing, data center e serviços gerenciados, além, é claro, dos serviços de dados e voz oriundos de telecomunicações.

O grande mote da nova estratégia é tornar a Oi na principal integradora de serviços digitais de TI no Brasil aproveitando as jornadas de transformação das companhias - vale lembrar que as PMEs não estão nessa estratégia, apenas as grandes companhias e o governo. "A Oi é a única operadora presente em mais de 2400 municípios. Temos de aproveitar esse diferencial com ofertas de TICs", afirmou a head da unidade Oi Soluções, Adriana Viali, durante o lançamendo da unidade de negócios, nesta quarta-feira,  04/12, em São Paulo, em um encontro que reuniu clientes, parceiros, fornecedores e imprensa.

"Não vamos a lugar nenhum com ofertas isoladas. O tempo do eu sozinho acabou. Temos de ter um ecossistema funcionando e é isso que estamos preparando com a Oi Soluções", respondeu Adriana Viali, ao ser indagada sobre a coopetição com tradicionais prestadoras de serviços de TI. "Certamente tenho de dizer que ser uma empresa 100% Telecom ficou no passado. Somos uma empresa de TICs", endereçou.

O fato de a Oi estar construindo um plano de reestruturação financeira e de negócio - com uma possível venda de ativos como o da operação móvel e a própria recuperação judicial - não é vista como um entrave na conquista dos clientes corporativos. "O fantasma da recuperação judicial já acabou. As empresas não me questionam sobre venda da Oi. Mas me exigem serviços de qualidade", afirmou Adriana Viali.

De acordo com a operadora, hoje, a companhia tem mais de 1.500 executivos para atender exclusivamente o segmento corporativo, sendo a carteira de clientes composta por 57 mil empresas dos mais variados setores. O primeiro serviço da Oi Soluções também foi apresentado. Trata-se do Gestão Digital 360º, composto por quatro módulos de gestão: Conectividade, Segurança, TI e Negócios, gerenciando ativos fornecidos pela própria Oi ou por outros provedores do mercado.

O diretor de Marketing da Oi Soluções, Rodrigo Shimuzu, explica que o serviço conta com três camadas: infraestrutura, porta de gerência integrada e serviços profissionais de mão de obra especializada. E foi adotado na própria Oi. "Através de uma gestão integrada da conectividade, segurança e infraestrutura de TI, obtivemos como resultado o aumento da disponibilidade dos sistemas de TI de 99,5% em 2017 para 99,92% em 2019, o que provocou uma verdadeira transformação em como gerimos nossos negócios", reforçou o executivo.

Ao ser questionada sobre a possível venda de ativos para a reconstrução financeira da Oi - como os seis data centers da companhia- Adriana Viali disse que a possível venda não muda os planos. "Ser data center próprio ou de terceiros não é a questão. O que queremos fazer de diferente é o serviço. Hoje nós já cuidamos de 720 petabytes trafegados nos nossos datacenters e mitigamos mais de seis terabytes de tráfego malicioso, o que não é um louvor, mas, sim, uma obrigação nossa. Impedimos que hackers atacassem nossos clientes e é o nosso trabalho", completou a head da Oi Soluções. Nos últimos três anos, a área B2B recebeu mais de R$ 1 bilhão da Oi.


ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Unicórnio brasileiro avança operações de pagamento para décimo país

Ebanx anunciou que também vai processar pagamentos no Uruguai. "Unicórnio" com mais de US$ 1 bi, empresa está também no México, Colômbia, Argentina, Chile, Peru, Bolívia, Equador e Uruguai, além do Brasil.

Finplace amplia em mais de 200% a oferta de crédito para PMEs

Criada no final do ano passado, a plataforma já movimentou mais de R$ 50 milhões e contabiliza 108 financiadores e uma carteira com mais de 500 clientes.

Se a bitcoin fracassar, o blockchain morre abraçado

FastBlock, empresa brasileira especializada em mineração por serviço, compra data center nos EUA para acelerar a mineração das criptomoedas. Ao Convergência Digital, o CEO Bernardo Schucman, adverte: Brasil não abre espaço à inovação. Sobre a credibilidade da bitcoin, o executivo diz que o estigma é concorrencial. "O velho mundo rejeita o novo. Golpes existem desde sempre. O que é a gangue do boleto?".

No Brasil, 65% das empresas estão bem longe das regras da LGPD

Índice LGPD ABES mostra ainda que 40% das companhias brasileiras sofreram incidentes de violação nos últimos dois anos e 80% assumem que fazem, sim, coleta de dados sigilosos. "Não há mais tempo a perder", adverte o consultor da EY, Marcos Sêmola.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G