Home - Convergência Digital

Oi fornece 4G, Internet, Wi-Fi e conectividade à rede da Marinha na Antártica

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 16/01/2020

Internet fixa com capacidade de transmissão de dados em alta velocidade; rede móvel com conexão 4G; sistema de recepção de sinal de TV via satélite; infraestrutura para acesso Wi-Fi; e conectividade com a rede corporativa da Marinha. Esses são alguns dos serviços prestados pela Oi na Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), inaugurada nesta quarta-feira, 15/01, pelo governo brasileiro. Com 4.500 metros quadrados e capacidade para hospedar até 64 pessoas, a nova estação conta com equipamentos de última geração da Oi, que têm como objetivo garantir uma conexão de qualidade aos militares e pesquisadores brasileiros que atuam na Antártica.

Os sistemas de telecomunicações viabilizam a troca de dados entre as pesquisas de campo realizadas na Antártica e as instituições às quais os pesquisadores são vinculados no Brasil, contribuindo para o desenvolvimento da pesquisa brasileira, dentro dos objetivos do PROANTAR (Programa Antártico Brasileiro), que visa a produção de conhecimento científico do continente. Essa nova infraestrutura de telecom também permite o monitoramento remoto dos equipamentos vitais da estação, incrementando a segurança operacional da base brasileira, e a ligação à rede corporativa da Marinha para as atividades administrativas, além de garantir a comunicação dos ocupantes da EACF com seus familiares.

“Essa iniciativa está em linha com nosso plano estratégico anunciado no ano passado, que prevê fortalecer nossa atuação como provedora de soluções digitais integradas para o mercado corporativo, baseado na robustez e abrangência da infraestrutura da Oi”, afirma Rodrigo Abreu, COO da Oi. O plano estratégico da companhia prevê investimentos para massificação e liderança da companhia em infraestrutura de fibra ótica no país, com crescimento agressivo em soluções de Telecom e TI para o mercado corporativo e para o mercado de atacado.

A Oi fornece serviços de telecomunicações à Estação Antártica Comandante Ferraz desde 2006. No início do ano passado, a partir de um novo acordo de cooperação entre a Marinha do Brasil e a Oi, a companhia ampliou e modernizou os serviços prestados à EACF. O acordo de cooperação prevê ainda treinamento e qualificação anuais dos militares componentes do Grupo-Base, que permanecem na Estação por mais de um ano, para a operacionalização do sistema e a manutenção dos equipamentos de telecomunicações. Além disso, a Oi realiza a revisão e manutenção preventiva dos equipamentos instalados na estação.

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

25/05/2020
TST manda Oi pagar sobreaviso para funcionário disponível pelo celular fora do expediente

22/05/2020
Oi: Covid-19 reforçou telecom como essencial, mas impasse tributário continua

21/05/2020
Multilaser vai fabricar receptores de TV paga para a Oi TV

18/05/2020
Oi apresenta números melhores, mas segue com geração de caixa líquida negativa em março

14/05/2020
Oi Soluções entra no mercado de locação de PC como serviço

06/05/2020
TIM e Vivo já acessam dados sobre a Oi Móvel

06/05/2020
Julgamento sobre recurso da Oi contra indenização de R$ 200 milhões será presencial

05/05/2020
Oi Soluções incorpora adequação à LGPD em serviços profissionais

30/04/2020
Oi cria carteira digital por WhatsApp para pessoas de baixa renda

24/04/2020
Oi usa app e BI para acompanhar saúde dos funcionários

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site