Clicky

GESTÃO

Tecnologia fica fora dos investimentos do Serpro e da Dataprev no 1º semestre

Luís Osvaldo Grossmann ... 04/08/2020 ... Convergência Digital

ATUALIZADA - O relatório semestral da secretaria de coordenação e governança das empresas estatais mostra que as principais empresas públicas de tecnologia da informação, Serpro e Dataprev, investem muito pouco do disponível nos primeiros seis meses do ano. Dos R$ 360 milhões do orçamento de investimento no período, usaram apenas 5% neste 2020. Na média, segundo o relatório, os investimentos de TI do governo foram de R$ 697 milhões, ou 17,6% do total previsto.

Especificamente no caso do Serpro, dos R$ 210 milhões previstos, a execução de 9,8 milhões até o fim de junho representou 4,7% do total. Enquanto na Dataprev, o montante de investimento alocado foi R$ 150 milhões, mas a empresa usou R$ 9,7 milhões, ou 6,5%. Segundo o Serpro, o baixo desempenho se deve à natural concentração de gastos no segundo semestre de cada ano. 

“A baixa realização verificada no 1º semestre de 2020 é recorrente, considerando que o início dos processos de contratação ocorre somente após a publicação da Lei Orçamentária Anual, no final de dezembro do ano anterior, sendo necessário cumprir todas as etapas da contratação aplicáveis ao setor público, como elaboração de projetos básicos e de editais, além da observância de prazos legais, resultando numa execução mais acentuada no 2º semestre de cada ano”, alega a estatal.

De fato, no caso do Serpro, os percentuais do primeiro semestre são baixos, mas vêm sendo reduzidos ano a ano. No ano passado, a estatal contava com R$ 198 milhões de investimento e usou R$ 10,1 milhões até junho, ou 5,1%. Em 2018, eram R$ 187 milhões para investimento, e o uso no semestre foi de 8,3%. 

Na Dataprev, a queda é ainda mais acentuada. Em 2019 a empresa tinha R$ 200 milhões para investir e executou 7,1% no primeiro semestre, ou R$ 14,1 milhões. Bem menos do que um ano antes, quando tinha também R$ 200 milhões, mas investiu R$ 53,6 milhões, ou 26,8% no mesmo período. 

Segundo a estatal, o recuo está relacionado à pandemia de Covid-19. “Houve impacto, no primeiro semestre, na execução dos investimentos da empresa e na temporalidade dos processos de contratação já em curso em função da pandemia. Grande parte dos fornecedores de área de tecnologia são de outros países, também impactados pela Covid-19”, diz a Dataprev em nota a esta Convergência Digital, indicando que haverá aumento no segundo semestre.

“Atualmente, estamos com contratações em andamento, com processos licitatórios mais longos e complexos. Portanto, o segundo semestre refletirá mais adequadamente a performance de execução do orçamento previsto, assim como ocorre anualmente na Administração Pública. Cabe informar, ainda, que investimentos em obras prediais e manutenções foram temporariamente suspensos também afetando o índice.”

O Serpro sustenta que no desempenho anual investe até mais que outras estatais.  “Os investimentos do Serpro, nos últimos 3 anos, têm sido superiores a 4% de sua receita operacional líquida e, neste ano, deverá manter o mesmo patamar. Os investimentos em 2020 deverão atingir R$ 187 milhões, representando 89% do orçamento previsto. Em 2019, conforme consta no 13º Boletim das Empresas Estatais publicado pela SEST, o Serpro realizou 60% do Orçamento de Investimento aprovado, superior à média de execução geral das estatais, que foi de 45,7%.”

* Atualizada às 17h com comunicado da Dataprev


Receita admite instabilidade no programa do Simples Nacional

Usuários têm relatado instabilidades no Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional – Declaratório (PGDAS-D) , desde sexta-feira (15). Em nota, Fisco diz que a área técnica está trabalhando no reparo com prioridade.

eSocial libera folha de janeiro/21 com novas alíquotas do INSS

Com a definição dos novos valores, foi desbloqueado o envio de eventos periódicos no sistema eletrônico de registro das informações trabalhistas. 

Com uso de Blockchain, MEC lança Diploma Digital

Solução criada pela RNP faz parte de projeto para criação de um ‘datalake’ educacional, em desenvolvimento pela do Ministério da Educação. 

Itaú moderniza 1 petabytes de Banco de Dados com a Oracle

Migração envolveu quase 300 aplicações distintas e distribuídas, conta Edilson Albuquerque, gerente de infraestrutura do Itaú Unibanco. "É como trocar a turbina do avião em pleno voo", adiciona o vice-presidente da Oracle, José Eduardo Ferreira.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G