SEGURANÇA

Erro de configuração vaza 250 milhões de registros de clientes da Microsoft

Convergência Digital* ... 20/02/2020 ... Convergência Digital

Um erro na configuração de um servidor que continha os registros de 14 anos de conversas entre a equipe de suporte técnico e os clientes expôs dados dos clientes do suporte técnico da empresa, aponta a ESET, especializada em segurança da Informação. Por meio de uma declaração em seu site, a Microsoft confirmou que, devido a um erro de configuração em um banco de dados interno de suporte ao cliente, foram expostos aproximadamente 250 milhões de registros das conversas entre os clientes e a equipe no período de 2005 a dezembro de 2019.

De acordo com a investigação realizada, ainda não foi detectado nenhum uso malicioso desses dados e na maioria dos casos as informações expostas não permitem a identificação do usuário. De qualquer forma, a Microsoft trouxe a tona o incidente em um ato de transparência, segundo a declaração da empresa.

A empresa de tecnologia também disse que o banco de dados foi escrito usando ferramentas automatizadas, que eliminam informações pessoais que permitem a identificação de uma pessoa, exceto em alguns casos em que as informações não estavam no formato padrão. Nos casos em que era possível identificar um usuário, a empresa enviou comunicados.

A descoberta foi feita pelo pesquisador Bob Diachenko, que relatou o erro à empresa após sua identificação, e a falha já foi resolvida pela Microsoft. Segundo o pesquisador, muitos dos registros presentes no banco de dados continham as seguintes informações do cliente:

• Endereço de email do Microsoft

• IP

• Localização

• Descrições de casos e serviço de suporte ao cliente

• Endereço de email do Microsoft Customer Support Agent

• Número do processo, resolução e comentários

• Notas internas marcadas como "confidenciais"

Caso essas informações cheguem a criminosos, elas podem ser utilizadas para, por exemplo, criar fraudes de suporte ao cliente, onde o usuário acredita estar sendo contatado pelo suporte da Microsoft, e entrega seus dados para atores mal-intencionados ou paga para resolver um problema inexistente.

"Embora possa parecer um golpe antigo, nossos usuários continuam nos relatando casos desse tipo, o que confirma que criminosos que agem dessa maneira continuam ativos e buscando novas vítimas", diz Camilo Gutierrez, chefe do laboratório de Pesquisa da ESET América Latina.


Administradora de shopping centers revela ataque cibernético

Ao mercado a Aliansce Sonae informou que a invasão aconteceu em maio e a companhia admite que, algumas informações possam ter sido acessadas, mas que elas não eram estratégicas.

PF caça quadrilha que teria vazado dados do presidente Bolsonaro e de mais de 200 mil servidores

Ação policial acontece nos Estados do Rio Grande do  Sul e Ceará. Organização teria invadido sistemas de universidades, prefeituras e câmaras de veradores.

Para Idec, ação comprova que Metrô de SP não garante segurança de reconhecimento facial

Segundo entidade, que move processo contra o Metrô, empresa falhou em não realizar estudo para implantar a tecnologia. 

Bancos querem prisão por até 18 anos para cibercriminosos

Instituições financeiras pedem a aprovação urgente do PL 2638, apresentado na Câmara, pelo deputado Marcelo Ramos, PR/AM, que impõe punição rigorosa às fraudes cibernéticas. "A impunidade é um incentivo", diz Adriano Volpini, do Itaú-Unibanco.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G