INTERNET

Teles propõem uma reformulação geral no modelo de votação do Comitê Gestor

Luís Osvaldo Grossmann ... 11/09/2017 ... Convergência Digital

As principais empresas de telecomunicações do Brasil, também as principais fornecedoras de conexões à internet no país, propõem uma forte reformulação na composição do CGI.br. Na consulta sobre o tema aberta pelo governo, a sugestão concentra o peso dos votos em apenas três grupos, sendo as próprias operadoras um deles, além de governo e Terceiro Setor.  

 “Claramente há necessidade de mudanças. Essas mudanças devem ser no sentido de que sejam representados, de forma equilibrada, os setores que são os atuais atores da internet brasileira”, sustenta a sugestão, subscrita separadamente pela Oi, Telefônica, Algar e pelo sindicato nacional do setor, Sinditelebrasil. “Equilibrada”, no caso, significa quatro cadeiras para as empresas, cinco para o governo e outras quatro, direcionadas para o Terceiro Setor. 

As vagas das empresas seriam para telecom, provedores de conteúdo, prestadores de serviço e setores tradicionais. As cinco vagas do governo seriam para MCTIC (duas), Justiça, Itamaraty e Anatel. Já as quatro do Terceiro Setor iriam para entidades que representem usuários, defesa de direitos civis, educação e telecomunicações. 

Outras quatro vagas seriam destinadas à comunidade acadêmica, mas apenas para fazer observações. Esse grupo, a ser formado pelo representante de notório saber e por especialistas em roteamento e endereçamento IP, segurança de redes e sistemas DNS, não teria direito a voto. 

A mudança mais substancial da proposta é na concentração dos votos nesses grupos. Ou seja, ‘empresas’, ‘governo’ e ‘Terceiro Setor’ reuniriam um total de três votos, um único para cada grupo. Na prática, transforma o que atualmente é minoria nas votações em majoritário, com os votos do MCTIC e das teles sendo capazes de formar maioria absoluta. 

Claro

Além dessas mudanças, vale mencionar uma proposta à parte apresentada pela Claro (América Móvil). Ela mantém um total de 21 assentos no CGI.br, sendo que dos 9 votos do governo, dois seriam reservados ao MCTIC e outros dois à Anatel, sendo os demais da Casa Civil, Justiça, Defesa, Indústria, Relações Exteriores. 

Cresce, porém, a participação das empresas. Hoje, são quatro votos para o setor empresarial como um todo, quatro para sociedade civil e quatro para comunidade científica. A proposta separa em quatro grupos, com três votos cada: empresas de infra & telecom; empresas usuárias; sociedade civil e academia. 


Revista Abranet 30 . fev-mar-abr 2020
Veja a Revista Abranet nº 30 A matéria de capa enfatiza a relevância do engajamento ao mostrar que uma internet mais segura depende da ação conjunta de todos os atores do ecossistema. Tratamos também do leilão das frequências do 5G. Veja a revista.
Clique aqui para ver outras edições

MP de Brasília abre inquérito para apurar venda de dados pessoais

Empresa na mira do Ministério Público do Distrito Federal e Territorios (MPDFT) é a Procob S.A. De acordo com a denúncia, essa empresa comercializa relatórios contendo informações como endereço, telefones, e-mails e outros.

TJSP começa com grupo Itaú projeto de citação eletrônica de pessoas jurídicas

Segundo oTribunal, informações técnicas para a participação foram enviadas a diversas instituições, mas por enquanto  somente o grupo financeiro respondeu. 

Facebook anuncia exclusão de mais de 50 milhões de postagens falsas

Trabalho de filtragem de conteúdo é  feito por algoritmos de inteligência artificial que identificam conteúdos abusivos com expressões de discurso de ódio, nudez adulta e atividades sexuais, violência e conteúdo explícito, bullying e assédio.

MPF: Expor em redes sociais quem descumpre isolamento é obrigação

Em nota técnica, Procuradoria dos Direitos do Cidadão defende ato de denunciar ou expor pessoas que promovem festas, reuniões ou outras atividades temporariamente proibidas.

MPF pede ao Google para tirar do ar vídeo de pastor vendendo feijão como cura da Covid-19

Valdemiro Santiago de Oliveira, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, vende por R$ 100 a até R$ 1 mil, sementes de feijão "mágico". 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G