Clicky

Oi descarta veto do CADE à venda da Oi Móvel para TIM, Vivo e Claro

Ana Paula Lobo ... 14/01/2021 ... Convergência Digital

A Oi descarta a possibilidade de o CADE vetar a compra da Oi Móvel pelo consórcio TIM, Vivo e Claro por R$ 16,5 bilhões, conforme o leilão feito em 14 de dezembro do ano passado, mas admite que o órgão antitruste pode, sim, aplicar 'remédios' para fazer ajustes no modelo de operação proposto pelas vencedoras, afirmou a diretora financeira da Oi, Camille Faria, ao participar de live da corretora Genial nesta quinta-feira, 14/01. A executiva descartou a possibilidade de a Algar conseguir vetar a transação, como solicitou ao CADE.

Camille Faria informou que o contrato de compra e venda da Oi Móvel está em fase final de ajustes- são concedidos 30 dias úteis depois do anúncio da transação para a conclusão do documento. Superada essa etapa é que os pedidos de anuência ao órgão antitruste e à Anatel vão ser encaminhados para formalizar a venda.

"O plano de segregação regulatório e de clientes foi feito com muito cuidado para respeitar todas as regras regulatórias e de competição pelos vencedores do consórcio. Não descartamos que o CADE imponha remédios, exija ajustes, mas não vislumbramos risco de recusa ao negócio", reiterou a executiva da Oi.

Expectativa da Oi é que o CADE leve no máximo 12 meses para julgar a venda da Oi Móvel, mas a operadora também trabalha com a possibilidade de um julgamento mais rápido, até em função do próprio leilão do 5G, previsto para o primeiro semestre.

Com relação à InfraCo, a unidade de banda larga e fibra ótica, Camille Faria diz que as propostas serão recebidas até o fim de janeiro e que existe, sim, uma perspectiva de um ágio. "Devemos escolher duas para trabalharmos e a previsão é que a venda aconteça no primeiro trimestre", sinalizou. O preço mínimo imposto é de R$ 20 bilhões e o comprador ficará com 51% e com o controle da nova empresa. O Convergência Digital reproduz a íntegra da entrevista da CFO da Oi, Camille Faria à corretora Genial.


Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Oi: fibra ótica é o chassi de suporte para Wi-Fi 6, Wi-Fi 6E e 5G

Para o VP da Oi, Carlos Eduardo Monteiro, o Brasil tem desafios a vencer para a expansão do Wi-Fi 6, como ofertar mais segurança jurídica e regulatória para os investimentos. O câmbio – já que todos os aportes e equipamentos são atrelados ao dólar – desponta como um gargalo a ser enfrentado.

Pequenos provedores querem antecipar uso outdoor do Wi-Fi 6E

“Desenvolver toda a base de dados leva tempo. Mas há operações que já sabemos onde são usadas e onde evitar problemas. Então podemos começar a implementar desde já”, diz o presidente da Associação Neo, Alex Jucius. 

GSMA: há risco no uso do Wi-Fi 6E em ambiente outdoor

Entidade insiste na necessidade de destinar uma parte dos 1200 MHz do espectro de 6 GHz para a oferta de serviços licenciados. "Essa faixa é mais viável para atender a demanda de espectro de banda média", afirma o diretor para a América Latina na GSMA, Lucas Gallitto.

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi
Empresa brasileira se prepara para oferecer Wi-Fi como serviço
Cambium Networks: é urgente a necessidade de atualização das redes para o Wi-Fi 6
IDC: Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E exigem evangelização por parte do ecossistema
Facebook: risco de interferência em 6 GHz não afeta a oferta do serviço
Brasil assume liderança e se torna hub do Wi-Fi 6E nas Américas
Veja mais matérias deste especial

Claro tem melhores notas no celular e TV paga, Oi concentra as piores avaliações

Pesquisa de satisfação da Anatel também mostra que Vivo vai bem no pós e mal no pré-pago, enquanto a TIM teve evolução em mais quesitos. 

Integração da Oi Móvel pela TIM começa pelas frequências e tem prazo de 12 meses

Estratégica para os planos da tele no Brasil nos próximos anos, a integração dos ativos da Oi Móvel começará 'nos dias subsequentes' à aprovação do negócio, afirmou o CEO Pietro Labriola.

Anatel estima que 5G vai custar R$ 35 bilhões no Brasil

Compromissos de cobertura previstos superam os R$ 23 bilhões. Cálculos anda precisam passar pelo crivo do Tribunal de Contas da União.  Anatel também prevê investimentos de mais de R$ 80 bilhões nos próximos 20 anos.

Governo retira exclusividade da Telebras da gestão da rede privada

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, revelou que vai alterar Decreto Presidencial para dar às teles a opção de gerenciar à rede tirarando a exclusividade até então concedida à Telebras.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G