Home - Convergência Digital

Claro monta show com holograma para demonstrar uso do 5G

Convergência Digital - 21/10/2019

Um show com holograma, montado pela Claro, mostrou no Allianz Parque, em São Paulo, potencialidades trazidas pelo 5G. Segundo a empresa, trata-se da primeira holografia em tempo real do Brasil em rede 5G diante de um grande público. No caso, o concerto da Nova Orquestra em homenagem a 50 anos da banda Led Zeppelin, acompanhada por um holograma do músico Lucas Lima. 

No concerto, realizado na noite de 20/10, e regido pelo maestro Eder Paolozzi, o teste do 5G fez aparecer no palco o músico Lucas Lima, da Família Lima, que conversou em tempo real com o maestro e em seguida tocou a música Black Dog, do Led Zeppelin, em seu violino. Ele estava a 17 km de distância, na sede da Claro.

 Segundo a operadora, o feito só foi possível pelas baixíssimas latências da rede 5G, que elimina o atraso da transmissão, e pelas altíssimas velocidades de transmissão, que permitem recriar uma imagem virtual, capturada em estúdio especial, a partir de diversas câmeras que fazem o mapeamento 360 graus da pessoa que terá sua imagem projetada.

Uma câmera especial de até 8k de resolução, e filmagem em 360°, foi instalada entre o maestro Eder Paolozzi e a Nova Orquestra. Esse equipamento, usando a tecnologia VR, possibilitou assistir em tempo real a movimentação do maestro e dos músicos pelo palco. 

A Ericsson instalou no Allianz Parque uma rede 5G composta por uma solução (AIR 6488) que agrega rádio e antena com Massive MIMO. A rede foi operada na frequência 3,5 GHz com largura de banda de 100MHz, autorizada pela Anatel, atingindo taxas acima de 1 Gbps. Essas taxas foram alcançadas graças à combinação das faixas de frequência LTE (a Claro triplicou a rede comercial 4,5 G) com a faixa de frequência 5G.

 Para garantir alta capacidade da rede e baixa latência para atuais e futuros casos de uso do 5G, a rede de acesso foi integrada a uma solução para virtualizar as funções necessárias para convergir voz e dados em redes LTE (vEPC, no caso da Ericsson), que move os componentes individuais da rede principal, tradicionalmente executados em hardware dedicado, para servidores centralizados.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

29/07/2020
Investimentos em 5G vão dobrar em 2020 e serão maiores que 4G até 2022

29/07/2020
Estados Unidos fazem ameaça velada ao Brasil por 5G

28/07/2020
A10 e CLM lançam laboratório de capacitação em IoT/5G

27/07/2020
Sem testes de campo, Anatel adia consulta sobre faixa de 3,5 GHz no 5G

27/07/2020
Deutsche Telekom já instalou 30 mil antenas 5G

22/07/2020
Holanda fatura R$ 7 bilhões em primeiro leilão 5G

22/07/2020
China rebate como Fake News retaliação à Ericsson e à Nokia

21/07/2020
TIM fecha contrato de RAN para os próximos três anos

21/07/2020
Ericsson e Nokia podem pagar a conta do banimento da Huawei

17/07/2020
4G LTE faz Neoenergia avaliar 5G para missão crítica no Brasil

Destaques
Destaques

Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

Tombo no primeiro trimestre foi de 8,7% - e chegou a 22,4% entre os aparelhos mais simples. Alta do dólar e a falta de componentes impactaram a venda dos dispositivos no país.

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site