GOVERNO

ABES: Majorar serviços em 25% inviabiliza a economia digital

Ana Paula Lobo e Pedro Costa, do Rio de Janeiro ... 19/09/2019 ... Convergência Digital

A majoração dos serviços por meio de uma alíquota única de 25%, como se discute, hoje, no Congresso Nacional, vai inviabilizar a economia digital no Brasil, adverte o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Software, Rodolfo Fücher. O setor de software, lembra o executivo, hoje, paga 5% de ISS. "Se passarem essa alíquota de 25% será uma majoração de vinte pontos percentuais. Isso inviabiliza qualquer negócio de software e, por consequência, a transformação digital", afirma.

À CDTV, do Convergência Digital, durante o Rio Info 2019, que aconteceu nos dias 17 e 18 de setembro, no Rio de Janeiro, Rodolfo Fücher sustentou que simplicidade e clareza são urgentes na reforma tributária em discussão. "Como as legislações são complexas, há muitas interpretações que terminam por gerar ruídos entre empresas e fiscais e uma insegurança jurídica para quem quer investir no Brasil", observou.

Sobre a Lei de Informática- que está em revisão por determinação da Organização Mundial do Comércio - o presidente da ABES cobra mais agilidade na liberação dos recursos por parte do governo. "A inovação não espera o tempo que o governo está levando". Assistam a entrevista com o presidente da ABES Software, Rodolfo Fücher.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Microcity recebe certificação CertiGov

Selo de compliance garante a integridade, a conformidade da empresa e a qualifica a vender ao governo reduzindo riscos nas transações.

Serpro fecha um contrato de R$ 34,8 milhões com o Governo Federal até 2025

Acerto é para o desenvolvimento de soluções tecnológicas para a gestão de margem consignável do Sistema de Gestão de Pessoas do Poder Executivo. O contrato, mesmo com a possível privatização, tem vigência de cinco anos e extrapola até a própria gestão de Jair Bolsonaro à frente da presidência da República.

Governo não vê razão para adiar a vigência da Lei de Dados Pessoais

“Prazo não é problema. Esperamos que a Lei entre em vigor a todo vapor”, garante, em entrevista exclusiva ao Convergência Digital, o secretário de Governo Digital, Luis Felipe Monteiro.

Telebras aumenta capital em R$ 1,59 bilhão e cobra calote da FIFA

Acionistas aprovaram a medida - uma reação à privatização pretendida pelo Governo Bolsonaro - e o capital da estatal passará a ser de R$ 3,1 bilhões. Estatal também foi à Justiça para cobrar R$ 9,2 milhões da FIFA por serviços prestados na Copa do Mundo de 2014.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G