Convergência Digital - Home

Mambu quer ser a plataforma agnóstica para SaaS

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 28/07/2020

Ainda se definindo como uma fintech da computação em nuvem, a Mambu, criada em 2011 com forte aderência ao mercado financeiro para serviços bancários digitais e SaaS, reformula a sua estratégia para ampliar os negócios na América Latina e no Brasil. O primeiro passo foi a contratação de Pablo Pereyra Portugal para a área comercial.

Ao Convergência Digital, o executivo conta que 'mantém planos agressivos para a região, em especial para Brasil e México como prioridades'. Segundo Portugal, a pandemia de Covid -19 acelerou a oferta de serviços digitais e fez avançar a transformação digital. No Brasil, ainda desponta a oportunidade com o Open Banking, que começa a operar na segunda quinzena de novembro.

"A situação atual fez com que grandes instituições financeiras repensassem seu plano de negócios e sua forma de atender os clientes, agilizando o processo decisório por tecnologias mais modernas. É aqui que a Mambu quer avançar", conta Portugal. Segundo ele, a adoção da computação em nuvem é um caminho sem volta por otimizar recursos e permitir redução de investimentos.

Sobre as parcerias, a Mambu - fechou recentemente com o Google Cloud - assegura que é agnóstica e quer ser reconhecida como uma empresa habilitada para operar em qualquer nuvem. "Nosso objetivo estratégico é sermos 100% cloud agnóstica. Somos uma plataforma SaaS nativa em nuvem e vamos prosseguir com o nosso portfólio de serviços cloud", reforça o novo diretor da área comercial para a América Latina.

Indagado sobre o impacto econômico da Covid-19 nos negócios, Portugal conta que a América Latina tem sido protagonista no crescimento da Mambu e a transformação digital é uma oportunidade única para a oferta de serviços. "É certo que a pandemia deixará como legado a maior digitalização, com hábitos e comportamentos modificados", completa o executivo.




Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Eletrobras contrata Analytics para acelerar jornada digital

Estatal, responsável por 1/3 da capacidade elétrica do Brasil, quer usar os dados para manter as melhores práticas de governança e investir em IoT, chatbots e robôs.

Hospital Care vai às compras e reforça transformação digital

Com foco em fusões e aquisições no setor de saúde, a holding vem obtendo inúmeros ganhos de integração e sinergia entre as empresas adquiridas e suas diferentes soluções locais, passando a atuar por meio de um Centro de Serviços Compartilhados que provê serviços corporativos a todas as unidades do grupo. Empresa aposto no SAP S/4HANA.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site